Papa Bento XVI peregrino em Santiago de Compostela


 

lUSA /Ao On line   Internacional   6 de Nov de 2010, 06:40

A visita de hoje do papa Bento XVI a Santiago de Compostela será “uma chamada” para que os cristãos se “reencontrem na fé”, afirmou à Lusa a coordenadora do acolhimento dos peregrinos que caminham em direção a este santuário católico
.

A visita de Bento XVI – a primeira deste papa a Santiago de Compostela – “é uma chamada clara a reencontrar-se na fé e voltar a encontrar as origens de uma fé que pode estar abandonada”, defendeu a coordenadora da “oficina dos peregrinos”, Maria Eiras Diaz.

“A vinda do papa significa um reconhecimento da Igreja a esta peregrinação, que se mantém tradicional e que os peregrinos fazem a pé, de bicicleta ou a cavalo, pressupondo um sacrifício da sua parte para visitar o túmulo de Santiago”, localizado no interior da catedral de Santiago de Compostela, sustentou.

Segundo a responsável do apoio aos peregrinos junto da catedral, “no Caminho de Santiago dá-se um tempo de reflexão muito importante para as pessoas, que significa para muitas delas um reencontro com uma espiritualidade que haviam perdido, e, em muitos casos, para reforçar a já existente”

Este ano, em que se assinala o ano santo compostelano – por o dia de Santiago, 25 de julho, coincidir com um domingo -, já chegaram a pé, de bicicleta ou a cavalo quase 260 mil peregrinos, face aos quase 180 mil que realizaram os caminhos de Santiago no último ano “xacobeo”(jacobeu, em galego) , em 2004.

Com o próximo ano santo a decorrer apenas em 2021, Maria Eiras Diaz não duvida que “a tradição da peregrinação vai manter-se” nos próximos anos, confirmando a tendência permanente de subida do número de peregrinos todos os anos, desde o “xacobeo” de 1993.

“A visita do papa dará um impulso face ao futuro para os próximos 11 anos”, sustentou a coordenadora.

Até lá, “a catedral estará sempre de braços abertos para todos os que desejem viver a experiência do Caminho de Santiago”, garantiu.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.