Ontário prepara-se para mudança de Governo após 15 anos de era Liberal

Ontário prepara-se para mudança de Governo após 15 anos de era Liberal

 

AO Online/ Lusa   Internacional   3 de Jun de 2018, 18:17

O ciclo de 15 anos de governo liberal no Ontário parece estar a terminar e até a primeira-ministra da província canadiana admite uma derrota nas eleições da próxima quinta-feira.

Kathleen Wynne reconheceu no sábado que não vai vencer as eleições, pedindo aos eleitores que votem nos candidatos liberais (centro) para que, tanto o Partido Progressivo Conservador (direita) do Ontário como o Partido dos Novos Democratas - NDP (esquerda) não tenham maioria no sufrágio de quinta-feira.

"A 'premier' foi muito corajosa em admitir que vai perder as eleições, o que demonstra as grandes qualidade que possui. É guerreira, uma mulher verdadeiramente forte ao reconhecer que não vai conseguir voltar ao cargo de primeira-ministra do Ontário", afirmou à Lusa Cristina Martins.

Kathleen Wynne esteve este sábado no Little Portugal de Toronto, a visitar o festival de rua da Dundas Street West, na companhia de Cristina Martins, que se vai recandidatar pelo distrito eleitoral da Davenport.v

"As pessoas têm medo de um governo conservador liderado por Doug Ford, e não têm confiança no NDP liderado por Andrea Horwath. A única forma para impedir que isso não aconteça é que os eleitores votem no Partido Liberal aqui na Davenport", acrescentou.

Os liberais estão no poder desde 2003, liderados pela 'premier' Kathleen Wynne. No último ano, a popularidade da primeira-ministra desceu bastante com as sondagens a colocaram os liberais como terceira força política no Ontário.

Cristina Martins abordou ainda a importância de votar, lançando o repto aos lusodescendentes que votem pois a "comunidade pode fazer a diferença" nestas eleições provinciais.

"Temos sondagens que indicam que só 20 por cento dos luso-canadianos é que costumam votar nas eleições. Temos que mudar essa tendência. Sei que a nossa comunidade vai fazer a diferença. O importante é votar no dia 07 de junho", apelou.

Nesta última legislatura sentaram-se no Parlamento Provincial três deputados lusodescendentes, Charles Sousa (Mississauga - Lakeshore) e Cristina Martins (Davenport), pelo Partido Liberal, e Teresa Armstrong (London - Fanshawe) pelo NDP.

Paul Ferreira, antigo deputado luso-canadiano do NDP (2007), mostra-se muito otimista na reeleição de Teresa Armstrong e não tem dúvidas que se o partido de esquerda ganhar as eleições a lusodescendente vai ter um cargo ministerial.

"Estou muito confiante de que, pelo menos, vamos ter um deputado provincial lusodescendente, com a reeleição de Teresa Armstrong por London. Se o NDP ganhar as eleições ela certamente vai ficar com uma pasta ministerial", disse.

O antigo deputado lamenta também que pelos conservadores "não se apresente nenhum candidato lusodescendente" e reconhece ainda que "será difícil a eleição" dos liberais Charles Sousa e Cristina Martins.

Paul Ferreira recorda ainda as eleição de 2007 quando foi derrotado por menos de 50 votos, reconhecendo a importância de toda a comunidade portuguesa de votar.

"É uma responsabilidade dos cidadãos para exercerem o direito da sua opinião no sistema democrático Quero encorajar todos para utilizarem esta oportunidade. Espero que seja para o NDP, mas o importante é votarem porque podem fazer a diferença", afirmou.

As eleições no Ontário estão agendadas para o dia sete de junho, entre as 09:00 e as 21:00 (mais cinco horas em Lisboa). O número de distritos eleitorais aumentou de 107 para 124, sendo que para uma maioria absoluta, um partido terá de eleger pelos menos 63 deputados.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.