Novo coordenador BE/Açores diz que Governo regional socialista está "anestesiado"

Novo coordenador BE/Açores diz que Governo regional socialista está "anestesiado"

 

Lusa/Ao online   Regional   14 de Jul de 2018, 21:50

O novo coordenador do Bloco de Esquerda (BE) no arquipélago, António Lima, acusou este sábado o Governo regional socialista de ser um executivo “anestesiado” e "mais preocupado em defender o Governo de António Costa do que em defender os Açores”.

“Estamos perante um governo sem força, sem vontade política e sem projeto para desenvolver os Açores. Podemos mesmo dizer que é um governo anestesiado”, afirmou António Lima, que encabeçava a única moção apresentada na VI convenção regional do BE intitulada “Mais Açores Mais Esquerda”, aprovada por unanimidade.

A lista candidata à comissão coordenadora regional foi eleita com 97% dos votos.

No encerramento, o novo coordenador do Bloco no arquipélago considerou que há atualmente na região “um Partido socialista e um governo regional mais preocupado em defender o Governo de António Costa” (primeiro-ministro) “do que em defender os Açores”.

“Como é possível ouvir repetidamente da boca de Vasco Cordeiro (presidente do Governo açoriano) que o Governo do Partido Socialista na República não tem falhado aos Açores e tem cumprido todas as promessas? Terá mesmo cumprido?”, questionou.

António Lima desafiou o chefe do executivo açoriano a exercer a Autonomia em várias questões.

"Mas, daqui faço um desafio ao senhor presidente do Governo, exerça a Autonomia e assuma o tempo que agora nega aos professores, assuma o combate à precariedade e apoie a proposta do Bloco para que empresas apoiadas com dinheiros públicos tenham nos seus quadros 75% de trabalhadores com contratos sem termo e, no mínimo, 50% no caso das microempresas", disse.

António Lima desafiou ainda o Presidente do Governo regional "e o PS para que vote a favor da proposta do Bloco para adaptar à região o programa de regularização de precários na administração pública".

"Este desvelo em favor do Governo da República e contrário aos Açores, é um golpe na economia, no desenvolvimento e na Autonomia", frisou.

Com críticas à governação socialista açoriana, alertou que os Açores "estão à frente das desigualdades sociais" chamando a atenção para "o flagelo do desemprego e da precariedade laboral".

António Lima disse que o PS “lançou uma nova palavra de ordem recentemente, o chamado novo ciclo económico”, que “afinal não é nada mais que o velho hábito de transferir riqueza do setor público para o privado, aumentando assim as desigualdades sociais”.

O dirigente partidário sustentou que "os Açores na globalidade irão perder fundos europeus" e disse que "o debate que já se anuncia entre PS e PSD sobre qual o partido que negoceia melhor os quadros comunitários é um debate completamente estéril".

"Por isso, não contem com o Bloco de Esquerda para ele", acrescentou.

O novo coordenador regional do BE sublinhou que a moção aprovada “acolhe os principais vetores da ação política” desenvolvida pelo partido “até à data”, mas “é capaz de juntar e acrescentar mais saber, mais profundidade tornando por essa via o Bloco de Esquerda/Açores mais apto, mais forte e sabedor para enfrentar esta difícil caminhada” para “transformar a região num lugar decente para a vida dos açorianos e açorianas”.

Foram ainda aprovadas três propostas de alteração aos estatutos do BE nos Açores.

Segundo as alterações, deixa de haver limitação de mandatos no BE/Açores, as listas ao Parlamento Europeu podem passar a integrar independentes e a minuta com os temas e decisões tomadas em cada reunião da Comissão Coordenadora Regional passa a ser disponibilizada na página do movimento na internet, unicamente com os pontos de índole política.

No final da convenção, reuniu-se a comissão coordenadora regional que elegeu António lima como coordenador regional.

Assim, o modelo de coordenação do BE/Açores foi alterado, passando de uma direção partilhada para uma desempenhada agora apenas por uma pessoa.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.