Mundial de Futebol de Rua começa hoje em Cardiff


 

AO Online/ Lusa   Futebol   27 de Jul de 2019, 11:20

O Mundial de Futebol de Rua começa este sábado, em Cardiff, no País de Gales, onde mais de 500 jogadores, que enfrentaram a “falta de casa e a marginalização social”, vão disputar o torneio.

Até 03 de agosto, no Bute Park, mais de 50 países, incluindo Portugal, vão ser representados por 64 equipas, das quais 48 são masculinas ou mistas e 16 são femininas, lê-se no ‘site’ oficial do encontro.

Além da competição, o evento vai contar com momentos musicais e discursos que pretendem motivar o debate sobre os sem-abrigo.

O futebol de rua – uma modalidade semelhante ao futsal, mas com regras próprias - é um projeto de inclusão social destinado a pessoas que vivem numa situação de fragilidade habitacional e que pretende promover o desenvolvimento de competências pessoais e sociais das mesmas.

Em Portugal, a associação Cais, que promove a integração de pessoas social e economicamente vulneráveis, seleciona a equipa que, de acordo com a sua página de Facebook, encontra-se em Cardiff desde quinta-feira.

Em declarações à agência Lusa, o selecionador português, Bruno Seco, assumiu que tem “as melhores e mais altas” perspetivas para esta competição.

Antes da partida para o País de Gales, Bruno Seco garantiu que os jogadores estão "no caminho certo" para serem campeões do mundo enquanto pessoas.

"Para sermos campeões do mundo em termos desportivos, primeiro teremos de ser campeões do mundo enquanto pessoas", disse à agência Lusa o selecionador Bruno Seco, garantindo que neste aspeto a equipa está no "caminho certo".

Os jogadores e a equipa técnica foram, na segunda-feira, recebidos pelo Presidente da República.

A proposta da cidade para o evento foi liderada pelo ator e ativista galês Michael Sheen, sendo a competição organizada pela Homelees World Cup Foundation em colaboração com diversas instituições do País de Gales.

A competição desenvolve-se em pequenos estádios temporários construídos para o efeito nos centros das cidades.

Cada jogo tem 14 minutos em duas partes e cada equipa tem um guarda-redes e três jogadores de campo, mais quatro suplentes.

Até 03 de agosto, todas as equipas disputam vários troféus existentes na prova, mas só uma pode suceder ao México como campeã do mundo, que era anfitrião na última edição.

Esta prova atraiu mais de 160 mil espetadores durante uma semana.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.