Mourinho sonha com títulos italiano e espanhol

Mourinho sonha com títulos italiano e espanhol

 

Lusa /AOonline   Futebol   26 de Dez de 2008, 05:15

O treinador português do Inter de Milão ambiciona juntar os títulos italiano e espanhol de futebol aos dois ingleses já conquistados e adianta ainda que odeia as conferências de imprensa após as partidas em Itália.
"Uma das minhas ambições é ganhar a Premier League, a Serie A e La Liga. Os três grandes campeonatos da Europa. Um dia voltarei a Inglaterra porque adoro e um dia irei para Espanha para ganhar La Liga. Ao mesmo tempo, estou mesmo muito feliz no Inter", disse José Mourinho, em entrevista reproduzida hoje pela cadeia de televisão britânica Sky Sports.

    Mourinho assumiu também as relações pouco amistosas com a imprensa italiana, sobretudo nos prolongados encontros com os jornalistas a seguir aos jogos.

    "Não posso dizer à imprensa que defendemos mal ou que o jogador tal cometeu um erro. Não posso. No início, para mim, era um momento de grande pressão, de desentendimentos. Não me sentia bem a responder. Sentia-me cansado. Mas tenho que fazer o meu trabalho. Durante uma hora, tenho que falar com a imprensa e odeio-o. Odeio-o mesmo. Mas tenho que me adaptar devido à situação contratual. Nunca irei gostar daquilo", afirmou o técnico de 45 anos.

    Depois de vencer a Taça UEFA e a Liga dos Campeões com o FC Porto, em 2003 e 2004, acumulando dois títulos portugueses, uma Taça de Portugal e uma Supertaça Cândido de Oliveira, o "Special One" emigrou para o Chelsea, conduzindo os "Blues" a dois títulos da "Premiership" (2005 e 2006), após 50 anos de "jejum".

    Com a equipa de Stamford Bridge, Mourinho venceu ainda duas Taças da Liga, uma Supertaça e a emblemática Taça de Inglaterra. Agora, em Itália, após uma pausa sabática, o responsável técnico dos "Nerazzurri" já ganhou a Supertaça transalpina, está apurado para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões e, após 17 rondas, lidera a Serie A com seis pontos de vantagem sobre a Juventus.

    "Quero fazer do Inter um clube melhor. Estou muito, muito contente com a forma como as coisas estão a correr até agora. Foi um novo começo para mim. A minha equipa é quase como eu costumava chamar ao Chelsea 2004/2005 - 'uma máquina de vitórias'. Sente-se sempre que se vai ganhar, porque a equipa é muito forte", continuou.

    Relativamente à recusa do posto de seleccionador da Inglaterra, Mourinho admite que esteve "quase a ir", mas desistiu "à última hora" e reitera que "uma selecção nacional tem que esperar 15 anos" por ele, porque é uma pessoa com "energia a mais".

    "Recusei porque queria ser feliz. Para ser feliz, preciso de trabalhar (todos os dias com os jogadores). À última hora, pus-me a imaginar a minha vida... todos os dias de fato, ir para o escritório, viajar para ver jogos", disse, rejeitando a ideia de ter que disputar apenas um jogo por mês ou passar três semanas sem orientar uma sessão de treino.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.