Morreu maestro e compositor Manuel Ivo Cruz


 

Lusa / AO online   Nacional   26 de Dez de 2010, 12:17

O maestro, compositor, musicólogo e historiador Manuel Ivo Cruz faleceu no sábado, aos 75 anos, no Hospital de Santo António, no Porto, disse hoje à agência Lusa fonte da família.

De acordo com a mesma fonte, o maestro Manuel Ivo Cruz encontrava-se internado há duas semanas naquela unidade de saúde, onde viria a sucumbir sábado de manhã de uma septicémia, infeção que lhe provocou um colapso dos órgãos vitais.

O corpo do compositor vai estar a partir das 17:30 (a hora anterior foi alterada) de hoje em câmara ardente na Igreja da Lapa, no Porto, e o funeral deverá realizar-se segunda-feira, dia 27 de dezembro, com missa às 10:00 na mesma igreja, e será sepultado no Cemitério da Lapa.

A missa será celebrada pelo cónego Ferreira dos Santos.

A mesma fonte da família disse que o musicólogo, a residir há alguns anos no Porto, "apesar de doente, continuava ativo e escrevia muito".

Nascido em Lisboa, em 1935, Manuel Ivo Soares Cardoso Cruz - filho do maestro Ivo Cruz (1901-1985) - formou-se em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Deu o primeiro concerto, ainda como estudante, em 1954, foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, e formou-se com distinção, como maestro, pela Academia de Mozart da Universidade de Salzburgo, na Áustria.

Regressou a Lisboa e tornou-se diretor musical e chefe da Orquestra Filarmónica de Lisboa.

Dirigiu programas de música da RTP, colaborou nas temporadas de ópera do Teatro da Trindade, em Lisboa, e nos concertos das orquestras sinfónicas da RDP.

Foi maestro-diretor do Teatro Nacional de São Carlos, fundou e dirigiu os Cursos Internacionais da Costa do Estoril, e foi maestro convidado em diversos concertos e óperas em Espanha, Alemanha, França, Grécia, Itália, Brasil, Estados Unidos da América, Rússia e Venezuela.

Foi presidente e diretor artístico do Círculo Portuense de Ópera, no Porto, e da Ópera de Câmara do Real Teatro de Queluz.

Procurou divulgar obras musicais portuguesas menos conhecidas, fazendo, para isso, investigação na área da musicologia histórica portuguesa e apresentando um vasto reportório documentado, publicado pela EMI, Numérica e Tecla, segundo os dados biográficos da Infopédia.

Manuel Ivo Cruz recebeu, em 1969, o Prémio Moreira e Sá do Orfeão Portuense e foi distinguido pela França com o título de Oficial de Mérito Cultural e Artístico, e pelo Brasil com a Ordem do Rio Branco.

Foi ainda agraciado com a condecoração portuguesa de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique e, em 2004, nas comemorações do 50.º aniversário da carreira artística, com a Medalha Municipal de Mérito, grau ouro, entregue pela Câmara Municipal do Porto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.