Mogherini considera "inaceitável" envenenamento de ex-expião russo

Mogherini considera "inaceitável" envenenamento de ex-expião russo

 

Lusa/AO online   Internacional   19 de Mar de 2018, 09:25

A Alta Representante da União Europeia (UE) para os Negócios Estrangeiros, Federica Mogherini, disse hoje que o envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal, no sul de Inglaterra, é "inaceitável" e expressou "solidariedade" para com o Reino Unido.

"O que é absolutamente claro é a nossa total solidariedade com o Reino Unido e a nossa extrema preocupação com o que aconteceu, que é realmente inaceitável", afirmou a responsável italiana após a sua chegada à reunião dos Ministros dos Negócios Estrangeiros dos 28 que se realiza hoje em Bruxelas.

Questionada sobre a possibilidade de a UE impor sanções à Rússia, Mogherini disse que os ministros vão ouvir o ministro britânico, Boris Johnson, e manifestou a sua esperança de que, durante a manhã, seja tornada pública uma “posição conjunta”.

Londres tem "evidências" de que a Rússia "desenvolveu e armazenou" o Novichok, o agente nervoso usado para envenenar o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia, disse o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, no domingo.

Em entrevista à BBC, Johnson disse que, nos últimos dez dias, o seu país reuniu provas de que "a Rússia não apenas investigou a entrega de agentes nervosos para o assassinato, mas também que criou e armazenou Novichok ".

O político confirmou, além disso, que um grupo de especialistas da Organização Internacional para a Proibição de Armas Químicas - um órgão regulador - vai deslocar-se hoje a Salisbury para realizar testes à toxina.

Este componente químico foi usado no passado dia 04 para envenenar os Skripal. A primeira-ministra britânica, Theresa May, culpa o Kremlin pelo ocorrido, tendo sido desencadeada uma crise política e diplomática entre ambos os países



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.