Miguel Albuquerque reitera que será candidato a líder do PSD/Madeira e do Governo Regional

Miguel Albuquerque reitera que será candidato a líder do PSD/Madeira e do Governo Regional

 

Lusa/Ao online   Nacional   16 de Jun de 2018, 18:26

O líder do PSD/Madeira e presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, reafirmou este sábado, no Funchal, que será candidato à liderança da estrutura partidária no próximo congresso, previsto para o final do ano, e à liderança do executivo, em 2019.

"Vou reiterar aquilo que já disse: eu vou ser candidato no próximo congresso a líder do partido e vou ser candidato a líder do próximo Governo Regional. E vou com toda a segurança, com a segurança do dever cumprido, com a cabeça de levantada", declarou no encerramento do VI Congresso da Associação Regional de Autarcas Sociais-Democratas (ARASD), que decorreu esta manhã na capital madeirense.

Miguel Albuquerque vincou que a autonomia da Madeira está "sob ameaça", considerando que o momento é "difícil", mas "não dramático", pelo que desafiou o PSD a partir para as eleições "sem medo".

"A nossa autonomia está novamente, como nunca deixou de estar ao longo destes 40 anos, sob ameaça dos mesmos de sempre: os centralistas de Lisboa, que através das suas marionetes locais, mais uma vez, tentam tomar o poder na Madeira a qualquer custo", disse, sublinhando, no entanto, que o PSD vai fazer-se à luta e vai ganhar as eleições regionais de 2019.

Miguel Albuquerque afirmou que a oposição madeirense é "folclórica" e classificou os Estados Gerais do PS/Madeira, que decorreram na semana passada, como "mais uma cena dos espíritos agachados a Lisboa", realçando que o seu governo se recusa a "fazer fretes", pois é responsável por 58 semanas consecutivas de crescimento económico e já reduziu 37 milhões de euros de cobrança de impostos.

"O nosso governo social-democrata vai cumprir integralmente todos os compromissos que assumiu com os madeirenses", disse.

O líder do PSD alertou, no entanto, para o desafio que representa o Partido Socialista, considerando que o seu objetivo é "extinguir a autonomia".

"Temos um novo desafio que é o partido do centralismo, o partido que visa extinguir a autonomia, o partido que a mando dos senhores de Lisboa quer novamente transformar a Madeira numa colónia às ordens dessas excelências de Lisboa", reforçou.

No decurso do VI Congresso da Associação Regional de Autarcas Sociais-Democratas, que contou com a presença de 172 delegados, o presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, Pedro Coelho, foi eleito líder do novo conselho diretivo.

A Região Autónoma da Madeira é constituída por 11 concelhos e 54 freguesias, sendo que o PSD governa atualmente em três câmaras municipais: Câmara de Lobos, Calheta e Porto Santo.

O partido governa o executivo regional desde as primeiras eleições livres.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.