"Mestre da comédia" norte-americano Neil Simon morre aos 91 anos


 

Lusa/Ao online   Internacional   26 de Ago de 2018, 19:38

Neil Simon, um aclamado dramaturgo norte-americano, conhecido como o mais bem-sucedido da segunda metade do século XX, morreu este domingo aos 91 anos, no New York Presbyterian Hospital, vítima de pneumonia.

A notícia foi dada por Bill Evans, representante e amigo de longa data de Simon.

Relembrado como “mestre da comédia de Broadway” pela agência de notícias Associated Press, Neil Simon foi um homem das artes, que dominou Broadway, a zona artística mais prestigiada de Nova Iorque, com a triologia das peças “The Odd Couple” (Um Estranho Casal, que se transformou numa série televisiva), “Barefoot in the Park” (Descalços no Parque) e “Brighton Beach”.

O jornal The New York Times escreve que o nome de Neil Simon é “sinónimo de comédia da Broadway e sucesso comercial no teatro”, que contribuiu para a redefinição do humor americano popular. Foi por todos estes aspetos que um teatro na Broadway foi intitulado com o seu nome, em 1983.

Neil Simon, nascido em 04 de julho de 1927 em Bronx, Nova Iorque, foi reconhecido como o dramaturgo mais bem-sucedido do século XX nos Estados Unidos da América e as suas obras deixaram um cunho intemporal na cultura norte-americana.

Entre a longa lista de prémios que recebeu, contam-se quatro prémios Tony, dois prémios de vida, um Pulitzer em 1991, um prémio Mark Twain e outros.

No ano de 1966, Neil Simon pôs em cena quatro espetáculos em simultâneo na Broadway. Entre 1965 e 1980, as peças de Neil Simon foram apresentadas mais de 9.000 vezes.

Escreveu guiões para o comediante Sid Caesar, junto de Woody Allen, Mel Brooks e Carl Reiner.

Depois de 20 anos de casamento e da morte da primeira mulher, em 1973, Neil Simon casou-se mais quatro vezes, duas vezes consecutivas com a mesma mulher.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.