Açoriano Oriental
Menos de metade da mercadoria chega às Flores

Empresários dizem-se “desesperados” com o facto de menos de metade da mercadoria encomendada conseguir chegar às Flores e em “pânico” face ao futuro dos seus negócios. Dizem que a capacidade dos navios da TMG é “insuficiente”

article.title

Foto: Açoriano Oriental/Ana Carvalho Melo
Autor: Carolina Moreira

Um mês e dez dias após a passagem do furacão ‘Lorenzo’, os empresários das Flores dizem-se “desesperados” com o facto de menos de metade da mercadoria encomendada em Lisboa e em São Miguel conseguir chegar à ilha.

Segundo os empresários do ramo alimentar, a maior falha é nos produtos perecíveis como frutas e legumes que, quando são descarregados nas Flores, já chegam em “mau estado”, sem possibilidade de serem consumidos ou vendidos, o que representa um custo sem retorno para o negócio.


Reportagem completa na edição desta terça-feira, 12 novembro 2019, no jornal Açoriano Oriental


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.