Crise financeira

Medidas temporárias só se evitam com correcção na despesa corrente


 

Lusa / AO online   Economia   17 de Mai de 2010, 17:56

O Banco de Portugal considera que os problemas orçamentais de Portugal são uma questão "estrutural" que decorreu do "crescimento excessivo da despesa corrente primária" e que só corrigindo essa causa se podem evitar recorrer a medidas temporárias.
"Não é por demais sublinhar que os problemas orçamentais em Portugal não devem ser vistos fundamentalmente em termos de correcção do défice no curto e médio prazo, mas sim como uma questão estrutural decorrente do crescimento excessivo da despesa corrente primária", diz o banco central no seu relatório de actividades relativo a 2009.

O regulador acrescenta que "só corrigindo as suas causas será possível evitar a necessidade recorrente de implementar medidas no curto prazo", sublinhando ainda que apesar dos esforços reformistas nesse sentido, "o sucesso dos esforços de consolidação orçamental, crucial para um crescimento sustentável, não está ainda assegurado".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.