Marítimo volta a ganhar e acentua crise do Santa Clara


 

Lusa/Ao online   Futebol   20 de Jan de 2019, 11:02

O Marítimo confirmou este sábado a sua trajetória ascendente na I Liga de futebol, com uma vitória por 1-0 sobre o Santa Clara, impondo a sétima derrota seguida em casa aos açorianos.

Neste duelo insular da 18.ª jornada, a equipa da Madeira garantiu o terceiro triunfo seguido com um golo de Joel, aos 23 minutos, enquanto o Santa Clara, que esteve melhor na segunda parte, não vence em casa desde o triunfo sobre o Chaves em 05 de outubro (1-0), acumulando no seu terreno seis derrotas no campeonato e uma na Taça de Portugal.

Depois de Rodrigo Pinho ter atirado à figura de Serginho, aos 07 minutos, o Santa Clara respondeu e desperdiçou duas oportunidades de golo no minuto 16. No seguimento de um canto, com a confusão na área, Zainadine quase fez autogolo, e, no canto subsequente, Alfredo Stephens fez a bola passar muito perto ao poste da baliza do Marítimo.

Forçado a substituir o lesionado Anderson Carvalho, aos 17 minutos, pelo estreante Lucas Marques, reforço de janeiro, o Santa Clara continuou a assediar a baliza dos visitantes, e Mamadu Candé atirou ao poste, no minuto seguinte.

Apesar do ascendente dos locais, o Marítimo inaugurou o marcador aos 23 minutos, com Edgar Costa a cruzar de trivela para o cabeceamento certeiro de Joel.

Aos 31 minutos, Rodrigo Pinho podia ter feito o 2-0 para os madeirenses, aproveitando novamente a falha a meio-campo dos jogadores do Santa Clara que perdem a bola. O avançado fez um 'sprint' até à área adversária e rematou forte fazendo a bola sair muito perto da baliza de Serginho.

Na resposta, o Santa Clara, aos 33 minutos, aproximou-se da baliza de Charles, com Pineda a cruzar para o pontapé de bicicleta de Alfredo Stephens, que saiu muito ao lado.

Aos 44 minutos, o guarda-redes Serginho defende um remate de Correa mas quase deixou escapar a bola, causando um 'calafrio' aos adeptos do Santa Clara.

Já em tempo de descontos, uma grande confusão na área do Marítimo podia ter resultado em golo do Santa Clara, já que Charles não segurou um cruzamento de Mamdu Candé e os madeirenses só a custo conseguiram aliviar.

No arranque da segunda parte, João Henriques faz entrar o avançado Guilherme Schettine para o lugar de Bruno Lamas, na tentativa mudar o rumo do jogo, e foi o brasileiro quem deu o primeiro sinal de perigo, aos 55 minutos, com remate forte por cima, já depois de o árbitro Hélder Malheiro ter expulsado o treinador do Marítimo, Petit, por protestos.

Numa altura em que quase todo o jogo se desenrolava na área do Marítimo, os jogadores do Santa Clara jogavam mais com o coração do que com a cabeça não traduzindo as oportunidades em golos.

Aos 77 minutos, um livre marcado por Ukra podia ter resultado no empate, não fosse uma grande defesa de Charles, que desviou a bola muito perto da trave da baliza.

O Marítimo ainda respondeu aos 82 minutos, num remate de Barrera, mas a bola sofreu um desvio num adversário e foi às malhas laterais.

Já em cima dos 90 minutos, Charles voltou a evitar o empate numa grande defesa e, no período de compensação, o Santa Clara podia ter marcado novamente por Guilherme, que respondeu a um cruzamento de Ukra, com um cabeceamento por cima da baliza.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.