Marcelo não vai exigir acordos escritos entre partidos para um futuro Governo

Marcelo não vai exigir acordos escritos entre partidos para um futuro Governo

 

Lusa/AO Online   Nacional   6 de Set de 2018, 09:49

O Presidente da República afirmou que não vai exigir a assinatura de acordos escritos entre partidos que, à esquerda ou à direita, possam no futuro vir a apoiar uma solução de Governo.

"Não me parece essencial haver acordo escrito por uma questão de princípio, mas também não me parece essencial haver acordo escrito porque as dúvidas que se poderiam formular sobre o acordo escrito acabaram por ser resolvidas pela prática da fórmula política", disse Marcelo Rebelo de Sousa em entrevista a Daniel Oliveira, no ‘podcast’ Perguntar não ofende.

De acordo com o chefe de Estado, a atual solução, em que o Governo minoritário do PS é suportado por acordos escritos – designados de posições conjuntas - com o BE, o PCP e o PEV - “afirmou-se” e “sobreviveu”, tendo já sido aprovados três Orçamentos do Estado.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “ficou provado” que “os partidos apoiantes do Governo não questionaram a política do Governo em pontos que o Governo considerava importantes no domínio da Aliança Atlântica e da União Europeia”.

Em 2015, o anterior Presidente da República, Cavaco Silva, exigiu acordos escritos entre partidos que vieram a apoiar a atual solução governativa.

A não exigência de acordos escritos no futuro foi ainda justificada por Marcelo Rebelo de Sousa com a sua própria experiência política.

Quando foi líder do PSD (entre 1996 e 1999), na altura o maior partido da oposição, viabilizou Orçamentos do Estado.

Já em novembro de 2017, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, um dos partidos que suportam o Governo no parlamento, tinha afirmado em entrevista ao Expresso que “não é preciso uma posição conjunta”, afastando a necessidade de um acordo escrito.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.