Marcelo fala em “momento raro” e defende apuramento “de tudo” sobre acidente do INEM

Marcelo fala em “momento raro” e defende apuramento “de tudo” sobre acidente do INEM

 

Lusa/Ao online   Nacional   16 de Dez de 2018, 22:29

O Presidente da República classificou este domingo a queda de um helicóptero do INEM, que provocou a morte de quatro pessoas, como um “momento raro e muito triste” e pediu o apuramento de “tudo o que se terá passado”.

“A minha primeira palavra vai, naturalmente, para aqueles que, infelizmente, pereceram naquele acidente [..]. Para eles e para as suas famílias vai o meu primeiro pensamento, apresentando condolências muito sentidas às famílias”, declarou hoje Marcelo Rebelo de Sousa, falando na Pontinha, Odivelas, à margem de um almoço solidário de Natal.

Após ter estado “toda a madrugada em contacto com o presidente do INEM [Instituto Nacional de Emergência Médica]”, o chefe de Estado classificou este como um “momento raro, mas muito triste, e que é o retrato dos riscos da vocação que abraçaram, quer médico, quer enfermeira e bombeira, quer os pilotos”.

Notando que as vítimas mortais, “foram vítimas do serviço da comunidade e os portugueses estão gratos por isso”, Marcelo Rebelo Sousa quis também transmitir a sua solidariedade “ao INEM e em geral a todos os operacionais”.

O Presidente da República vincou que, “das várias conversas com o presidente do INEM, resultou a ideia de que há preocupação de apurar tudo o que se terá passado, rodeando este acidente, para determinar efetivamente os factos que ocorreram, como ocorreram, e as lições que se podem e devem extrair para o futuro”.

A seu ver, importa saber “o que terá passado relativamente ao voo feito, às eventuais causas do acidente, ao conhecimento do acidente e relativamente ao tempo que mediou entre o conhecimento ou os conhecimentos e a intervenção ou intervenções que houver a seguir”.

“E, portanto, temos de apurar antes de formular juízos”, adiantou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.