Marcelo debate hoje "Futuro da Europa" com Grupo de Arraiolos na Letónia

Marcelo debate hoje "Futuro da Europa" com Grupo de Arraiolos na Letónia

 

Lusa/AO Online   Nacional   14 de Set de 2018, 08:47

O Presidente da República debate hoje o "Futuro da Europa" com outros chefes de Estado da União Europeia sem poderes executivos, no segundo e último dia da 14.ª reunião do Grupo de Arraiolos, na Letónia.

Este grupo informal reuniu-se pela primeira vez na vila alentejana de Arraiolos, em 2003, por iniciativa do então Presidente da República de Portugal, Jorge Sampaio, que procurou juntar um conjunto de chefes de Estado com poderes semelhantes aos seus para discutir o futuro da União Europeia.

À chegada a Riga, na quarta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa voltou a expressar preocupação com o futuro da União Europeia e a advertir para um possível contexto de maior fragmentação e fragilidade das instituições europeias na sequência das eleições de 2019 para o Parlamento Europeu.

"A Europa não pode perder tempo", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, insistindo que a União Europeia deve tomar decisões com urgência em domínios como as migrações e refugiados e o quadro financeiro plurianual, "antes do começo da campanha eleitoral".

Na quinta-feira, os chefes de Estado presentes neste 14.º encontro do Grupo de Arraiolos reuniram-se no Palácio Rundale, a cerca de 80 quilómetros da capital da Letónia, para uma sessão de trabalho sobre "Resiliência social", fechada à comunicação social.

"Queremos mais Europa, não menos Europa - foi esse muito o tom", relatou o Presidente da República, referindo que "não se encontrou nada de eurocético" e acrescentando: "Devo dizer que eu próprio fiquei surpreendido pela força do discurso nesse sentido".

Além de Marcelo Rebelo de Sousa e do Presidente do país anfitrião, Raimonds Vejonis, do Partido Verde Letão, participaram nessa sessão os chefes de Estado da Alemanha, Áustria, Bulgária, Croácia, Estónia, Finlândia, Grécia, Itália, Letónia, Malta e Polónia.

Alguns não estarão hoje no segundo e último dia de reunião, que decorrerá no Castelo de Riga, com uma sessão sobre o "Futuro da Europa", durante a manhã.

No final, estão previstas declarações à comunicação social por parte dos presidentes da Letónia, de Malta, da Grécia e de Portugal - os países organizadores das reuniões deste ano, do ano passado, de 2019 e de 2020, respetivamente.

Presente nas duas anteriores reuniões do Grupo de Arraiolos, o Presidente húngaro, János Áder, não compareceu no encontro deste ano, que acontece no rescaldo da aprovação pelo Parlamento Europeu, na quarta-feira, de uma recomendação ao Conselho Europeu para que instaure um procedimento disciplinar à Hungria por violação grave dos valores europeus, nos termos do artigo 7.º do Tratado da União Europeia (UE).

Desde a criação do Grupo de Arraiolos, realizaram-se 13 encontros, que têm tido periodicidade anual. Marcelo Rebelo de Sousa, que assumiu funções como Presidente da República em março de 2016, esteve presente na 12.ª reunião, que decorreu nesse ano, na Bulgária, e na 13.ª, em Malta, em 2017.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.