Manuel Fernandes defende “raízes de primeira divisão” e o mesmo treinador no Santa Clara

Manuel Fernandes defende “raízes de primeira divisão” e o mesmo treinador no Santa Clara

 

AO/LUSA   Futebol   7 de Mai de 2018, 16:50

O antigo futebolista Manuel Fernandes, que foi treinador do Santa Clara, defendeu hoje a "reestruturação" do clube, promovido à I Liga de futebol, e a continuidade do treinador Carlos Pinto na formação açoriana.

"O Santa Clara, neste momento, tem de ganhar raízes de primeira divisão e isso é muito importante e para isso, para o ano, não pode estar naquela de ser o clube do sobe e desce", ressalvou o técnico responsável pela primeira subida do clube à I Liga de futebol há quase duas décadas.

Manuel Fernandes defende a necessidade de uma "reestruturação" para "garantir estabilidade" ao clube açoriano, se este quiser ficar "muitos anos na Primeira Liga".

"Eu lembro-me que quando cheguei ao Santa Clara, o Santa Clara estava na II Divisão B e praticamente num ano subimos à primeira divisão e evidente que o clube teve de se reestruturar, normalmente um clube que sobe tem sempre as suas dificuldades no ano seguinte. Penso que o Santa Clara tem condições e tem adeptos suficientes para manter o clube muito mais anos na primeira divisão e agora têm uma experiência diferente daquela que não tinham, no meu tempo", sublinhou.

O antigo treinador do Santa Clara e do Sporting defende a continuidade do treinador Carlos Pinto que chegou aos Açores na época 2015/2016, de onde tinha saído para uma breve passagem pelo Paços de Ferreira, da I Liga de Futebol.

"Eu penso que sim, mas a direção sabe melhor do que ninguém o trabalho que o treinador fez, eu penso com o mérito que ele teve de subida tem todo o direito de pensar que irá continuar na primeira divisão. Carlos Pinto é um jovem com ambição e está numa região que gosta, não é a primeira vez que ele aí está, e portanto eu acho que ele pode continuar como treinador do Santa Clara", afirmou.

Quanto ao plantel, Manuel Fernandes defende que há que começar a preparar a próxima época com a contratação de jogadores preparados para uma competição "totalmente diferente".

"O treinador se for o mesmo, ele sabe com certeza os jogadores que têm capacidade para jogar na primeira divisão, há uns que têm e outros que não têm e, portanto, aí não pode funcionar o coração, eu acho que ele também sabe isso, que a segunda divisão de honra não tem nada a ver com a primeira", ressalvou.

O ‘histórico' ex-jogador confessou ainda a "alegria enorme" de ver o Santa Clara de regresso à I Liga de futebol e prometeu visitar a ilha de São Miguel, "quem sabe para ver o Sporting".

"Para mim é uma alegria enorme, o Santa Clara é um clube que me vai ficar sempre no coração, independentemente de já não estar nos Açores há muitos anos, eu acho que o Santa Clara andava ano após ano para conseguir esta subida e conseguiu este ano. Tenho de dar os parabéns a todos os envolvidos no projeto e de facto os Açores já há muito tempo que mereciam um clube na I divisão, novamente", concluiu.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.