Mais de 800 condutores detidos pela GNR na "Operação Carnaval 2019"

Mais de 800 condutores detidos pela GNR na "Operação Carnaval 2019"

 

Lusa/AO Online   Nacional   6 de Mar de 2019, 10:33

Mais de 800 condutores foram detidos por excesso de álcool durante a "Operação Carnaval 2019" da GNR, 238 dos quais apresentavam uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l, considerada crime.

No balanço final da "Operação Carnaval 2019", que decorreu entre os dias 01 e 05 de março, a GNR refere que deteve igualmente 62 condutores por falta de habilitação legal para conduzir.

No total, foram fiscalizados 24.464 condutores e registadas 6.485 infrações, das quais 1.623 por excesso de velocidade, 373 por falta de inspeção periódica, 291 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 237 por utilização indevida do telemóvel durante a condução e 230 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou cadeirinhas para crianças.

A GNR detetou ainda 183 infrações por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório e 72 por anomalias nos pneus.

Durante os cinco dias da "Operação Carnaval 2019" a GNR intensificou o patrulhamento e a fiscalização rodoviária em todo o continente, especialmente orientada para as vias que conduziam aos locais onde tradicionalmente ocorrem festividades carnavalescas. O objetivo foi combater a sinistralidade rodoviária, regular o trânsito e garantir o apoio a todos os utentes das vias.

No que diz respeito à sinistralidade rodoviária, a GNR registou 964 acidentes, dos quais resultaram cinco mortos - três condutores resultantes de despistes (dois motociclos e um veículo ligeiro de mercadorias), um condutor de um veículo ligeiro de passageiros devido a uma colisão e um peão por atropelamento.

Foram ainda registados pela GNR 30 feridos graves e 326 feridos leves.

Em 2018, durante o período da operação Carnaval da GNR, sete pessoas morreram e 13 ficaram feridas com gravidade e 292 tiveram ferimentos ligeiros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.