Saúde

Maioria dos portugueses indiferente a perigos do sol

Maioria dos portugueses indiferente a perigos do sol

 

Lusa / AO online   Nacional   28 de Jul de 2010, 16:29

A maioria da população continua indiferente às recomendações sobre cuidados com o sol, revela um rastreio da Liga Contra o Cancro no Norte do país, que detectou não existir diminuição do cancro da pele.
Uma informação do Núcleo Regional do Norte da Liga Portuguesa Contra o Cancro salienta que, "analisados os dados, conclui-se que desde 2008 repetem-se sensivelmente os mesmos valores, o que revela a persistência de comportamentos semelhantes".

Depois do rastreio ao cancro cutâneo, através do qual foram observadas mais de mil pessoas que podem ser "encaradas como uma amostragem do todo nacional", a conclusão é que "o nível de lesões cutâneas relacionadas com a exposição indevida ao sol continua a apresentar valores muito altos".

E, "se não há registo de aumentos do cancro da pele, também não há diminuição do mesmo, como seria expectável", realça a informação.

Apesar das campanhas de sensibilização, "a maioria da população continua indiferente às recomendações para adoptar cuidados especiais com o sol" e, por isso, a Liga reafirma a necessidade de medidas preventivas, principalmente no Verão, quando há maior intensidade dos raios ultravioleta.

A Liga Contra o Cancro recomenda a preferência pela exposição ao sol nas primeiras hora da manhã e ao fim da tarde e refere que os "protectores solares existentes no mercado não asseguram uma infalibilidade total em relação às agressões dos raios ultravioletas".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.