Skinheads

MAI e Ministério Justiça garantem segurança de procuradora Cândida Vilar


 

Lusa / AO online   Nacional   8 de Out de 2007, 11:46

A procuradora da República Cândida Vilar, que impediu a libertação do skinhead Mário Machado e que foi ameaçada numa carta aberta, é alvo de medidas de protecção especiais, anunciou hoje o Ministério da Justiça.
    Numa nota hoje divulgada, o ministério da Justiça diz que, a par do ministério da Administração Interna, "asseguraram, no decurso do fim-de-semana, as medidas de segurança necessárias à protecção da Procuradora da República Cândida Vilar".

    Entretanto, o ministro da Justiça, Alberto Costa, aproveitou a missiva para "repudiar e condenar as ameaças dirigidas à magistrada", considerando-as "intoleráveis num Estado de Direito Democrático".

    "Os Ministérios da Administração Interna e da Justiça, com a Procuradoria-Geral da República e o Conselho Superior do Ministério Público, continuarão a acautelar todas as situações desta natureza", acrescenta a mesma nota.

    As ameaças a Cândida Vilar foram realizadas numa carta aberta a circular na Internet pelo líder dos Portugueses Hammerskins, Mário Machado, devido à procuradora ter impedido a sua libertação.

    Na carta, Mário Machado apela a todos os nacionalistas para que não se esqueçam do nome de Cândida Vilar.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.