Líderes dos dois movimentos islamitas da Somália que combatem governo encontram-se para unir forças


 

Lusa / AO online   Internacional   10 de Jul de 2010, 13:42

Os líderes dos dois movimentos islamitas que controlam grande parte da Somália encontraram-se sexta feira para tentarem unir as suas forças contra o governo somali apoiado pelo Ocidente, indicaram hoje fontes oficiais.

Abdi Mohamud Godane, dirigente dos “shebab” que se dizem da Al-Qaida, reuniu-se em Mogadíscio com o xeque Hassan Dahir Aweys, líder do Hezb al-Islam, um grupo mais pequeno, indicou à agência noticiosa francesa AFP um alto responsável “shebab” que não quis ser identificado.

Os dois grupos de insurgentes, que controlam o centro e o sul da Somália, são teoricamente aliados, mas defrontaram-se em numerosas ocasiões nos últimos meses.

“Os dois dirigentes encontraram-se ontem (sexta-feira) e discutiram um amplo acordo de unidade para lançar uma grande ofensiva contra os invasores africanos e o seu governo apóstata”, declarou o responsável “shebab”.

“(…) devem chegar nos próximos dias a um acordo final para juntar os seus combatentes (…) para eliminarem os inimigos de Alá neste país”, adiantou.

O xeque Mohamed Ibrahim, do Hezb al-Islam, também confirmou o encontro.

Cerca de 6.000 soldados do Uganda e do Burundi da Amisom (força da União Africana na Somália) protegem o frágil governo de transição somali, criado em janeiro de 2009. O governo apenas controla uma pequena parte de Mogadíscio.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.