La Caixa admite “oportunidades” no financiamento da investigação

La Caixa admite “oportunidades” no financiamento da investigação

 

Lusa/AO online   Regional   11 de Set de 2018, 17:57

O presidente da Fundação La Caixa admitiu a possibilidade de “surgirem oportunidades” para os Açores no financiamento da investigação e inovação, nos campos das ciências do mar e alterações climáticas.


Artur Santos Silva, que foi hoje recebido em audiência pelo presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, destacou a importância que instituições como a Universidade dos Açores desempenham nestas áreas a nível nacional e internacional.

O responsável admitiu que estas “grandes competências” existentes nos Açores, através da academia açoriana e outros polos de investigação, podem vir a “ser atraídas para políticas e mecanismos de financiamento” que a Fundação La Caixa possui para projetos de doutoramento e pós-doutoramento, no âmbito dos quais são escolhidos projetos de excelência na península Ibérica.

Artur Santos Silva referiu que mais de uma dezena de organizações não-governamentais (ONG) e instituições não lucrativas da região autónoma, sobretudo localizadas na ilha de São Miguel, já beneficiaram “pela sua qualidade” de prémios da fundação, nos últimos sete anos.

O gestor adiantou que vão surgir mais dois prémios de que os Açores também poderão beneficiar, destinados a crianças que vivem em situação de pobreza até aos 06 anos, visando melhorar o seu “bem-estar, a saúde e a educação”.

Santos Silva destacou ainda outras iniciativas, a desenvolver em 2019, que pretendem potenciar o desenvolvimento de comunidades com economias mais assentes nos meios rurais.

O chefe do executivo, que referiu o facto de a fundação já estar a investir nos Açores através de um projeto psicossocial destinado a cuidados paliativos do Hospital de Ponta Delgada, destacou a “disponibilidade e interesse” da instituição para investir nos Açores na área social, na investigação científica e na cultura.

Na sequência da entrada do BPI no Grupo CaixaBank, a Fundação La Caixa iniciou a sua “implantação progressiva” em Portugal com o objetivo de “contribuir para o bem-estar dos portugueses, especialmente daqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade”.

Segundo o sítio oficial da instituição - com mais de um século de existência e a primeira fundação de Espanha -, o plano diretor para Portugal em 2018 contempla vários eixos como programas próprios da fundação bancária e o lançamento de prémios destinados a apoiar projetos de entidades sociais, a par de projetos especiais como o de dinamização das regiões transfronteiriças.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.