Taça da Liga

"Jogo treino" em Coimbra termina com nulo inicial

"Jogo treino" em Coimbra termina com nulo inicial

 

Lusa/AO online   Futebol   13 de Jan de 2010, 20:39

 Um "renovada" Académica e um FC Porto de "reserva" empataram hoje 0-0, em Coimbra, na 2ª jornada do Grupo A da 3ª fase da Taça da Liga, adiando para a última jornada a decisão de quem irá às meias-finais

Em noite de invernia, os poucos espectadores que assistiram ao jogo pouco ganharam com o fraco espectáculo que lhes foi oferecido. Não era "um jogo a feijões", mas quase pareceu, tão poucas foram os motivos de interesse e de emoção criados pelas duas formações.

Assistiu-se quase a um "jogo-treino", numa partida em que nenhum dos conjuntos criou uma situação flagrante de golo. As duas equipas, com quatro pontos, estão em boas condições para seguirem em frente antes da jornada final (o FC Porto visita o Estoril, enquanto a Académica o Leixões).

Se a Académica alinhou de início com cinco alterações em relação ao jogo anterior - Pedro Costa, Paulo Sérgio, Diogo Gomes, João Ribeiro e Licá em vez de Pedrinho, Nuno Coelho, Cris, Lito e Miguel Fidalgo - o FC Porto revolucionou a equipa, alinhando com apenas um dos titulares da última partida, o defesa direito Miguel Lopes.

Jesualdo Ferreira tinha avisado da necessidade de haver rotatividade na equipa, dado o apertado calendário durante o mês de Janeiro (oito jogos), o mesmo se passando com a formação de André Villas-Boas, embora com menos duas partidas do que o campeão nacional no primeiro mês do ano.

O jogo iniciou-se de forma equilibrada, com os "estudantes" tentando as suas oportunidades com remates de longe e os campeões nacionais a preferirem o contra-ataque. Os "azuis-e-brancos" encontraram sempre pela frente uma muralha defensiva difícil de transpor, pois os poucos ataques que encetaram também os fizeram de longe, na tentativa de surpreender a defensiva da "Briosa".

No último quarto de hora, a pressão dos homens da casa foi mais acentuada. Nuno, aos 35 minutos, quase comprometeu, ao não segurar uma bola rematada de longe por Sougou, defendendo para a frente, mas a defesa conseguiu aliviar o perigo. Cinco minutos depois, Licá rematou forte contra um defesa portista e no consequente canto Tiero atirou forte, mas sem êxito..

Na segunda parte, a equipa da casa entrou mais afoita, com Licá a desperdiçar uma oportunidade aos 51, a passe de Sougou. Perto da hora de jogo, Jesualdo Ferreira fez a primeira alteração, fazendo entrar o avançado Orlando Sá para o lugar do médio Prediger. Os frutos não foram visíveis, porque Rui Nereu conseguiu segurar um "míssil" do meio da rua desferido por Guarin.

Aos 65, Sougou, o mais inconformado dos jogadores da casa, numa arrancada individual, ia desfeiteando o guardião Nuno, mas este arrojou-se aos seus pés e conseguiu segurar o esférico.

Já perto do final, o recém-entrado Sérgio Oliveira "preferiu" atirar para as nuvens, quando tinha o golo nos pés dentro da grande área da Académica. Mariano, aos 87, atira contra os pés de um defesa academista, mas a bola foi para canto.

Já ao cair do pano, os "estudantes" reclamaram uma grande penalidade sobre Sougou, mas o árbitro entendeu que houve simulação do avançado senegalês, mostrando-lhe o cartão amarelo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.