Liga Vitalis

Jogo marcado por arbitragem polémica

Jogo marcado por arbitragem polémica

 

Lusa/AO   Futebol   30 de Nov de 2008, 19:11

O Santa Clara perdeu a liderança da Liga Vitalis, ao ser derrotado por 2-1 no terreno do Varzim

O Santa Clara perdeu a liderança da Liga Vitalis, ao ser derrotado por 2-1 no terreno do Varzim, marcado por arbitragem polémica de Bruno Paixão, que assinalou três grandes penalidades.

O árbitro de Setúbal, que já não apitava desde a controversa actuação no Sporting-FC Porto, da Taça de Portugal, foi contestado por ambos os "bancos" e tomou decisões de acerto duvidoso em pelo menos duas das grandes penalidades.

O Varzim entrou no jogo de forma decidida, face a uma equipa do Santa Clara deficitária a meio campo e com muitas dificuldades defensivas. Nelsinho, aos 1 e 9 minutos, teve boas situações para inaugurar o marcador, mas seria Mendonça, aos 11, de grande penalidade, a fazer o 1-0, após falta duvidosa de André Pinto sobre Yazalde. Os açorianos, quase sem atacar, chegaram ao empate aos 22 minutos, através de nova grande penalidade, a castigar uma presumível falta de Alexandre sobre Vouho. Oliveira converteu e, após o empate, o jogo baixou de intensidade, com os locais a terem mais posse de bola e o Santa Clara a explorar o contra-ataque. No reatamento, o jogo continuou desinteressante e sem ritmo, mas uma mão na grande área de João Dias deu origem à terceira grande penalidade do encontro. Mendonça, aos 58 minutos, converteu mais uma vez o castigo máximo, fazendo o 2-1.

Bruno Paixão voltou a estar em evidência aos 85 minutos, quando expulsou o treinador do Santa Clara, Vítor Pereira.

Aos 96 minutos os açorianos dispuseram da única situação para marcar na segunda parte, quando, após várias bolas bombeadas para a grande área adversária, acertaram no poste, com Valter a falhar a recarga.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.