Itália: Quatro romenos espancados numa "expedição punitiva" após morte de italiana


 

Lusa / AO online   Internacional   3 de Nov de 2007, 10:18

Quatro romenos foram espancados hoje na periferia de Roma por homens encapuzados, três dias depois da agressão mortal atribuída a um romeno que levou o governo a aprovar um decreto facilitando a expulsão de estrangeiros, anunciaram os media.
    Ao início da noite, num parque de estacionamento de um supermercado na periferia de Roma, quatro cidadãos romenos foram espancados com bastões por um pequeno grupo de pessoas encapuzadas ou com capacetes de moto, segundo a Agência ANSA e as edições online dos principais jornais que falam de uma "expedição punitiva".

    Três dos quatro homens foram conduzidos ao hospital pelos serviços de socorros, desconhecendo-se, por ora, a gravidade do seu estado.

    Estes actos de violência ocorrem três dias depois de uma italiana ter sido violada e esfaqueada perto de um acampamento em Roma ocupado por imigrantes romenos, e que morreu quinta-feira. Um romeno de 24 anos foi detido pela polícia depois de ter sido denunciado por um compatriota.

    Quinta-feira, perante a emoção causada pela morte da cidadã italiana, o governo de Romano Prodi assinou um decreto que facilita, em nome da segurança pública, a expulsão de estrangeiros de países membros da União Europeia.

    A decisão, tomada durante uma sessão de emergência do gabinete, surgiu como uma resposta ao coro de críticas por uma série de crimes que foram noticiados recentemente e atribuídos aos imigrantes, na maioria romenos.

    Ao explicar a aprovação deste decreto, que constava já num pacote de medidas de segurança dos cidadãos proposto pelo Governo ao Parlamento, o ministro do Interior, Giuliano Amato, sublinhou que a medida "não significa uma caça aos romenos mas sim aos delinquentes romenos".

    Hoje à noite, a cidade de Milão (norte) foi a primeira a aplicar o decreto e expulsou quatro romenos.

    Um juiz milanês validou à tarde os pedidos "de afastamento do território" assinados pelo prefeito da capital lombarda, e os quatro homens foram conduzidos ao início da noite ao aeroporto Malpensa para embarcar num voo directo para Bucareste.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.