Holandesa realiza documentário sobre baleação em São Miguel

Holandesa realiza documentário sobre baleação em São Miguel

 

Ana Carvalho Melo   Regional   30 de Mai de 2017, 12:21

“O último baleeiro de São Miguel”,  é o nome de um documentário produzido pela jornalista holandesa Annette van Trigt que quis dar a conhecer a história da caça à baleia nesta ilha dos Açores.

O documentário será transmitido na televisão nacional holandesa e Annette van Trigt pretende ainda apresentá-lo à RTP Açores para possível emissão no canal regional, assim como aos museus da baleação do Pico e de New Bedford.
O interesse desta jornalista holandesa pela baleação nos Açores surgiu durante umas férias no Algarve.
“Há três anos estive de férias no Algarve e fiquei numa casa onde havia muitos livros sobre a baleação, porque a proprietária - Cármen Rodrigues - é dos Açores e o pai trabalhou na fábrica da Baleia”, contou, revelando que nas três semanas de férias leu vários desses livros, entre os quais “Moby Dick” de Herman Melville.
A partir daí começou a crescer a vontade de fazer um documentário sobre a caça à baleia nos Açores, uma prática que também já se realizou na Holanda.
Numa primeira fase, procurou aspetos que ligassem os Açores e a Holanda na caça à baleia, tendo descoberto que essa relação existiu ainda que por curto período de tempo, restando dessa união uma embarcação baleeira que está num estaleiro na Holanda.
O atual proprietário da embarcação participa numa regata muito popular na Holanda que utiliza embarcações históricas, sendo o plano recuperar este bote para um dia o usar nessa regata. Ainda que durante o documentário seja colocada a possibilidade de esta embarcação regressar a São Miguel.
Este bote onde ainda se consegue ver o registo PD 3740, foi enviado para a Holanda pela União das Armações Baleeiras de São Miguel, num período em que esta empresa fez um negócio com um parque aquático holandês para envio de golfinhos vivos, o qual acabou por não avançar.
Em 2015, resolvida a produção do documentário, Annette van Trigt decidiu vir a São Miguel com a sua equipa para descobrir mais sobre a história da baleação.
Assim que chegou a São Miguel nesse verão partiu à descoberta, tendo conhecido Albano e Monique Cymbron que a apoiaram neste trabalho.
O documentário apresenta assim os testemunhos de antigos baleeiros que de uma forma emotiva recordam os tempos da caça à baleia, assim o como do filho de um antigo vigia da baleia.
Já Albano e Monique Cymbron recordam a história e a evolução desta indústria baleeira que foi uma das mais importantes na ilha.
A inexistência de um museu dedicado à baleação em São Miguel é também tema abordado neste documentário, com os antigos baleeiros a lamentarem o facto de se estar a perder o património material e imaterial ligado à arte da caça à baleia. Também o estado atual da antiga fábrica das Capelas, da qual apenas resta uma chaminé, é lamentado por estes homens.
No entanto, este documentário realça a valentia e coragem dos homens que em botes de menos de 12 metros iam para o mar caçar o maior mamífero do mundo.
O documentário apresenta depois a transição para o ‘whale watching’, destacando o importante estudo dos cetáceos que se tem vindo a realizar na Região.
A jornalista destacou ainda que a apresentação deste documentário na Holanda será uma forma também de mostrar a Região, revelando que nas suas estadias em São Miguel tem encontrado turistas holandeses que, na sua maioria, afirmam  ter tido conhecimento do arquipélago através da televisão.
Annette van Trigt é jornalista com uma vasta experiência no mundo da rádio e televisão tendo sido durante várias décadas apresentadora de programas de informação desportiva na Holanda. Desde 2009, é produtora de televisão independente dedicando-se a fazer documentários, na sua maioria relacionados com desporto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.