Herta Müller defende Nobel da Paz para dissidente chinês Liu Xiaobo


 

Lusa / AO online   Internacional   8 de Fev de 2010, 15:38

A Prémio Nobel da Literatura 2009, Herta Müller, propôs que seja atribuído o Prémio Nobel da Paz 2010 ao dissidente chinês Liu Xiaobo, condenado a 11 anos de prisão por ter defendido o respeito pelos direitos humanos na China.
"Liu Xiaobo merece, na minha opinião, o Nobel da Paz, porque manteve a defesa da liberdade de cada ser humano, apesar das ameaças do regime na China, e sabendo que, com isso, poria em perigo a própria vida", assinala a escritora alemã numa carta ao comité sueco do galardão.

Apesar de, como Nobel da Literatura, apenas poder propor candidatos desta área, Herta Müller associou-se, na carta ao Comité Nobel de Estocolmo, a outra proposta formulada pelo ex-presidente checo Vaclav Havel.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.