Ponta Delgada

Guardas prisionais alertam para falta de meios humanos

Guardas prisionais alertam para falta de meios humanos

 

Lusa / AO online   Regional   18 de Mai de 2010, 15:36

O Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional denunciou esta terça-feira à Direcção Geral de Serviços Prisionais, num documento subscrito pelos delegados sindicais de S. Miguel, a falta de meios humanos e materiais na cadeia de Ponta Delgada.
“Temos um rácio de três reclusos para cada guarda, o que é manifestamente insuficiente, além dos problemas originados pelas especificidades deste estabelecimento prisional e pelos meios materiais que estão em desuso completo”, afirmou Ivo Garcia, um dos subscritores do documento.

A iniciativa de denunciar todos os problemas existentes no Estabelecimento Prisional de Ponta Delgada partiu dos delegados sindicais em S. Miguel, tendo sido do conhecimento do director da prisão e do presidente do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP).

O envio deste documento ocorre numa altura em que a baixa médica de um dos elementos da guarda prisional provocou uma alteração forçada da escala de serviço e uma sobrecarga de horas extraordinárias na cadeia de Ponta Delgada.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.