Governo Regional valoriza 15 trimestres seguidos com descida do desemprego

Governo Regional valoriza 15 trimestres seguidos com descida do desemprego

 

Lusa/AO online   Regional   9 de Mai de 2018, 16:23

O vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, destacou esta quarta-feira a descida em 15 trimestres consecutivos da taxa de desemprego na região, embora o indicador no arquipélago seja superior à média nacional.

"Há 15 trimestres consecutivos que se regista uma redução homóloga da taxa de desemprego, ou seja, face ao mesmo período do ano anterior. Regista-se, também há 15 trimestres consecutivos, uma redução da população desempregada face ao mesmo trimestre do ano anterior, e há seis trimestres consecutivos que se verifica um aumento da população empregada face ao período homólogo", realçou o governante, citado em nota de imprensa do seu gabinete.

As declarações de Sérgio Ávila surgem no dia em que se soube, por via do Instituto Nacional de Estatística (INE), que a taxa de desemprego caiu para 7,9% no primeiro trimestre de 2018, uma redução de 0,2 pontos percentuais face ao trimestre anterior e de 2,2 pontos em relação ao período homólogo.

Por regiões, contudo, a taxa de desemprego no primeiro trimestre foi superior à média nacional na Região Autónoma da Madeira (9,1%), na Região Autónoma dos Açores (8,9%), na Área Metropolitana de Lisboa (8,6%) e no Norte (8,1%).

O Governo dos Açores, socialista, valoriza que a população empregada nos Açores, no conjunto dos últimos nove meses, registe os "valores mais elevados" de empregados dos "últimos nove anos".

E concretiza: "Face, por exemplo, há quatro anos, hoje existem nos Açores mais 12.487 açorianos empregados e menos 10.794 açorianos desempregados".

Para Sérgio Ávila, os dados agora revelados pelo INE evidenciam uma "trajetória de decréscimo do desemprego e de crescimento do emprego, face ao mesmo período do ano anterior", num percurso de há 15 trimestres consecutivos, mais de três anos seguidos.

A população desempregada em Portugal, estimada em 410,1 mil pessoas, diminuiu 2,8% (menos 11,9 mil) face ao trimestre anterior, prosseguindo os decréscimos trimestrais observados desde o 2.º trimestre de 2016, nota o INE.

Em relação ao trimestre homólogo, verificou-se uma diminuição de 21,7% (menos 113,8 mil), ligeiramente inferior à observada no trimestre anterior, prossegue a entidade.

Por sua vez, a população empregada, estimada em 4.806,7 mil pessoas, “registou uma variação trimestral relativa quase nula (associada a um ligeiro acréscimo de 1,8 mil pessoas) e um aumento homólogo de 3,2% (mais 148,6 mil)”.

Segundo o INE, a taxa de desemprego vem registando diminuições trimestrais desde o segundo trimestre de 2016.

De janeiro a março, a taxa de desemprego dos homens (7,6%) foi inferior à das mulheres (8,1%) em 0,5 pontos percentuais, tendo a primeira diminuído 0,1 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior e a segunda recuado 0,3 pontos percentuais.

Em termos homólogos, a taxa de desemprego diminuiu mais para as mulheres (2,4 pontos percentuais) do que para os homens (2,2 pontos percentuais).

Já a taxa de desemprego de jovens (15 a 24 anos) foi de 21,9%, o valor mais baixo da série iniciada no primeiro trimestre de 2011, sendo que, face ao trimestre anterior, diminuiu 1,6 pontos percentuais e, em termos homólogos, recuou 3,2 pontos percentuais



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.