Governo dos Açores "sem respostas" para dar ao Faial sobre acessibilidades, diz PSD

Governo dos Açores "sem respostas" para dar ao Faial sobre acessibilidades, diz PSD

 

AO Online/ Lusa   Regional   29 de Jun de 2019, 11:49

O PSD dos Açores considerou esta sexta feira que o executivo regional socialista "não deu quaisquer garantias", na sua visita de trabalho de três dias ao Faial, para resolver os problemas das acessibilidades à ilha.

"O Governo Regional defraudou os faialenses na visita realizada a esta ilha nos últimos três dias. O grave problema das acessibilidades, precisamente a questão que mais necessitava de respostas e garantias de Vasco Cordeiro e do seu executivo, ficou como estava", afirmou em nota de imprensa a comissão política do PSD/Faial, estrutura social-democrata presidida pelo deputado e vice-presidente do partido Carlos Ferreira.

Os sociais-democratas questionam ainda o "súbito cancelamento" da apresentação do comunicado do Conselho do Governo Regional, "que poderia dar alguma resposta" aos locais sobre várias matérias.

Questionado pela agência Lusa sobre a matéria, o secretário regional com a tutela dos Assuntos Parlamentares, Berto Messias, realçou que as questões abordadas na reunião entre os membros do Governo Regional "serão divulgadas pelos respetivos secretários das áreas nos próximos dias".

Além disso, acrescentou Berto Messias, há comunicados dos conselhos de Governo em visitas estatutárias, o que acontece em seis das nove ilhas dos Açores - Pico, São Jorge, Flores, Corvo, Graciosa e Santa Maria -, mas tal pode não suceder em visitas de trabalho, como a que aconteceu ao Faial (e também sucede em São Miguel e na Terceira).

"O súbito e inexplicável cancelamento da apresentação do comunicado do Conselho do Governo Regional, que surpreendeu toda a gente, aumenta a nossa preocupação com ausência de respostas por parte do executivo socialista aos problemas do transportes aéreo na ilha", diz todavia o PSD na nota hoje enviada aos jornalistas.

Os sociais-democratas lembram ainda que os “constrangimentos sentidos desde 2015" na SATA, "sobretudo na rota Lisboa-Horta, com cancelamentos frequentes, bagagem deixada atrás e falta de capacidade de carga para exportação de produtos locais, ao invés de se resolverem, repetiram-se já neste mês de junho, e a época de maior procura ainda nem começou”.

E concretizam: "O Governo Regional do PS, que sempre negou as necessidades do Faial neste domínio e que diminuiu o número de voos Lisboa-Horta em julho e agosto, presenteou-nos agora com uma explicação caricata: como não tem pilotos suficientes, a SATA pede aos pilotos o favor de voluntariamente aceitarem substituir algum colega indisponível, designadamente para fazer a rota da Horta".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.