Governo dos Açores já recebeu cerca de 800 candidaturas de agricultores com perdas de produção devido à seca

Governo dos Açores já recebeu cerca de 800 candidaturas de agricultores com perdas de produção devido à seca

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   23 de Ago de 2018, 16:49

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas revelou esta quinta-feira que já foram registadas cerca de 800 candidaturas de agricultores ao apoio que será disponibilizado pelo Governo dos Açores para fazer face à perda de culturas como milho forrageiro ou produtos hortícolas, devido à seca prolongada que se verifica no arquipélago.

De acordo com nota do Gacs, João Ponte, adiantou que “já recebemos 800 candidaturas, correspondendo a uma área superior a 3.500 hectares, para apoio à perda das culturas de milho forrageiro, e cerca de 130 candidaturas de produção de hortícolas, correspondendo a vários milhares de parcelas afetadas”.


O governante que acompanhou uma equipa técnica de verificação dos prejuízos declarados pelos agricultores na freguesia dos Fenais da Luz, concelho de Ponta Delgada, acompanhado pelo diretor regional de Agricultura, José Élio Ventura, e pelos presidentes da Associação Agrícola de São Miguel, Jorge Rita, e dos Jovens Agricultores Micaelenses, César Pacheco, disse ainda que o Governo Regional só irá definir o valor do apoio por hectare após o fim do prazo das candidaturas.



“O prazo de entrega das candidaturas termina no dia 6 de setembro, mas os controles já se iniciaram. Estamos neste momento com 15% dos controles já efetuados. Vamos, nas próximas semanas, intensificar os controles e dar mais celeridade nos trabalhos de campo, sem pôr em causa a avaliação correta dos prejuízos”, disse João Ponte.



O Secretário Regional avançou que as candidaturas chegam de todas as ilhas, acrescentando que “há mais candidaturas onde se verifica maior seca, como é o caso das ilhas Terceira e São Miguel”.



Além deste apoio às perdas de produção, que se trata de um apoio direto ao produtor em função dos prejuízos verificados e em função do valor definido por hectare, quer para o milho forrageiro, quer para os produtos hortícolas, foram também definidos apoios imediatos para a importação de alimentos.



“Já publicamos uma portaria para o apoio de 10 mil toneladas e vamos renovar, de imediato, este apoio em igual montante. Foi esse o compromisso que o Governo Regional assumiu com a Federação Agrícola dos Açores”, afirmou o Secretário Regional.



Por outro lado, o secretário assegurou que a importação de palha e fenos prensados tem sido feita para todas as ilhas, em função do número de animais por ilha, em cooperação com as cooperativas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.