Governo dos Açores diz que corte nos duches na Caldeira Velha foi “pontual”

Governo dos Açores diz que corte nos duches na Caldeira Velha foi “pontual”

 

Lusa/AO Online   Regional   21 de Ago de 2019, 11:07

O Governo dos Açores considerou esta quarta-feira que o corte nos duches da Caldeira Velha foi “pontual” e ficou a dever-se a uma “diminuição do caudal da nascente” onde é feita a captação da água.

Os turistas nos Açores que se deslocam para banhos no monumento natural da Caldeira Velha têm sido confrontados com falhas no abastecimento de água nos balneários e sanitários, segundo o PSD/Açores.

A deputada social-democrata Catarina Furtado referiu num requerimento enviado à mesa do parlamento dos Açores que "têm vindo a público, há já algum tempo, reclamações e manifestações de insatisfação dos visitantes relacionadas com o abastecimento de água para utilização nos balneários e nas instalações sanitárias".

A parlamentar indica que "a capacidade dos reservatórios se revela insuficiente face às reais necessidades do local", exemplificando que "são vários os casos, sobretudo a partir das 15 horas, em que os visitantes, apesar de pagarem o bilhete de visitação completa de oito euros, que inclui visita e banhos, se veem impossibilitados de tomar banho nos balneários ou de utilizar as instalações sanitárias por falta de água para o efeito".

Numa nota enviada às redações, o Governo dos Açores esclarece que, “em resultado de uma diminuição do caudal da nascente onde é feita a captação da água para o consumo sanitário do monumento natural, houve necessidade de recorrer ao encerramento pontual dos duches, por períodos entre duas a três horas, nos dias 21 e 22 de junho e no dia 16 de agosto, de forma a não comprometer o funcionamento dos sanitários”.

O executivo açoriano refere que no final dos dias 09, 14, 17, 23 e 24 de julho “existiram suspensões do abastecimento aos duches, por períodos de cerca de uma hora, de forma a permitir a reposição dos níveis de água nos tanques e garantir a retoma imediata do abastecimento aos sanitários”, sendo que “apenas no dia 21 junho existiu um pequeno período de falta de água para abastecimento dos sanitários”.

A empresa pública Azorina está entretanto a efetuar uma “monitorização diária da nascente”, de forma a avaliar se se "trata de uma diminuição pontual ou sazonal do respetivo caudal”, tendo recorrido aos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande para abastecimento pontual de água à Caldeira Velha.

Segundo o Governo Regional, a suspensão dos duches na tarde do dia 16 de agosto “deveu-se à impossibilidade de os Bombeiros da Ribeira Grande efetuarem o serviço requisitado na hora prevista”, face a uma emergência, o que atrasou o abastecimento em cerca de três horas.

O executivo socialista considera que o atual modelo de gestão do monumento natural da Caldeira Velha “é reconhecidamente adequado e qualificador” daquela área protegida e tem “encontrado eco extremamente positivo nas referências de quem visita aquele local”, como é “facilmente verificável pelos inúmeros testemunhos que podem ser encontrados nas plataformas e redes digitais”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.