Governo de Zapatero enfrenta primeira greve geral da função pública

Governo de Zapatero enfrenta primeira greve geral da função pública

 

Lusa/AO Online   Internacional   8 de Jun de 2010, 10:26

Espanha enfrenta hoje a primeira greve geral da função pública do Governo socialista de José Luis Rodríguez Zapatero, convocada pelos sindicatos em protesto contra as medidas de austeridade, que incluem cortes nos salários dos funcionários do Estado.

Nas primeiras horas de greve, não há notícias de incidentes, com a vida a decorrer “com normalidade”, segundo as autoridades policiais em todo o país.

Um primeiro protesto, com algumas centenas de trabalhadores, decorria hoje de manhã às portas do Ministério do Trabalho em Madrid, um dos pontos que centrará hoje parte das contestações sindicais.

Em Barcelona, um dos pontos de concentração será a porta do hospital Vall d’Hebron, onde logo pela manhã se começarão a concentrar os trabalhadores, que mais tarde percorrerão o centro da cidade.

Além da greve, vários protestos estão programados durante todo o dia nas principais cidades espanholas, com destaque para Madrid, onde a Porta do Sol, no centro da cidade, acolherá o que se antevê seja o protesto de maior dimensão.

Será nesse protesto que participam os líderes sindicais Cándido Méndez (UGT) e Ignacio Fernández Toxo (CCOO).

O Governo, pela voz da secretária de Estado para a Função Pública, Consuelo Rumí, deverá fazer uma primeira avaliação da greve numa conferência de imprensa prevista para as 10:00 locais (09:00 em Lisboa).

Numa primeira avaliação, os sindicatos referem que durante o turno da madrugada a adesão rondou os 80 por cento, com a maioria dos setores a funcionarem apenas em serviços mínimos.

Já hoje de manhã, em Bilbau um “piquete informativo” dos sindicatos bloqueou durante algum tempo o acesso ao porto, provocando alguma confusão na circulação na zona.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.