Crime

GNR deteve 19 pessoas desde o início do novo ano

GNR deteve 19 pessoas desde o início do novo ano

 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Jan de 2010, 15:17

Dezanove pessoas foram detidas no Algarve desde o início de 2010, por infracções ao código da estrada e por posse de droga, disse hoje à Lusa o porta-voz do Comando Territorial de Faro da GNR.

Segundo o major Victor Calado, a última detenção ocorreu esta madrugada, num bar em Quarteira. Ao revistar dezenas de pessoas que se encontraram no estabelecimento, os militares detectaram 5 doses de cocaína e 10 de haxixe na posse de um indivíduo de 27 anos, de nacionalidade portuguesa. Na madrugada do dia 01, as forças do Destacamento de Albufeira detiveram outro indivíduo de 23 anos que transportava 40 doses de cocaína, 120 de haxixe e 1100 euros “presumivelmente produto do tráfico de estupefacientes”, revelou a mesma fonte. A estrada foi, porém, o maior palco de criminalidade. Entre o primeiro minuto de 2010 e a meia-noite de 1 de Janeiro, um dispositivo de 62 homens, montado pela GNR junto aos acessos aos locais de diversão, deteve 17 pessoas: uma por se recusar a efectuar o teste de alcoolemia, duas por condução ilegal e 14 por excesso de álcool no sangue. “Detectámos taxas de alcoolemia entre 1,27 e 2,25 gramas por litro”, explicou o oficial de relações públicas da GNR de Faro. Na operação, 310 veículos foram fiscalizados junto aos acessos de Albufeira, Monte Gordo, Alvor, Faro, Quarteira e Vilamoura, tendo sido levantados 47 autos de contra-ordenação por infracções diversas ao Código da Estrada. Os excessos das festas de fim de ano têm também ocupado os muitos militares no terreno. “Um pouco por todo o Algarve têm-se verificado alguns desacatos e perturbações da ordem pública”, explicou o major Victor Calado. O caso mais grave terá ocorrido em Vilamoura, na madrugada de 1 de Janeiro, quando dezenas de pessoas se envolveram em confrontos dentro da discoteca Latino-América.  “Havia várias pessoas ensanguentadas”, explicou à Lusa fonte da GNR, fazendo referência à apreensão de uma catana e de uma pistola de alarme. Um indivíduo de nacionalidade cabo-verdiana, com cerca de 30 anos, ficou gravemente ferido e teve que ser assistido pelo INEM. Apresentava um golpe na cabeça, “aparentemente fruto de agressão com um objecto contundente”, relatou a mesma fonte. Apesar do aparato, a GNR não procedeu a qualquer detenção, embora tenha conseguido identificar dois indivíduos com cadastro por suspeita de envolvimento na zaragata.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.