Festival das Azáleas

Folclore, convívio e natureza em novo encontro no Pinhal da Paz

Folclore, convívio e natureza em novo encontro no Pinhal da Paz

 

Miguel Bettencourt Mota   Cultura e Social   26 de Abr de 2018, 18:16

Festival das Azáleas, organizado pelo Rancho Folclórico Santa Cecília da Fajã de Cima, regressa este domingo ao Pinhal da Paz. Naquela que é também uma festa da primavera, quer-se garantido mais um encontro da cultura popular açoriana


Este domingo, o Pinhal da Paz vai voltar a ser palco de mais um Festival das Azáleas, um evento que prima por fazer a ‘festa’ da cultura popular açoriana naquele parque florestal.

O evento tem, de resto, um duplo intuito: se, por um lado, pretende fomentar, logo a partir das 10 horas, “um convívio intergeracional”, por outro, procura dar lugar a “um encontro de cultura popular”, através do tradicional festival de folclore que tem início marcado para as 15 horas, explicou o presidente da direção do Rancho Folclórico Santa Cecília da Fajã de Cima, Pedro Almeida.

É justamente o rancho de folclore da Fajã de Cima que, de há várias décadas a esta parte, se encarrega de organizar o Festival das Azáleas.

Se o fator tempo for favorável, no próximo dia 29 de abril prosseguir-se-á igualmente o objetivo de promover simultaneamente a natureza, o folclore e garantir o convívio entre todos quantos entendam marcar presença no evento.

Além de pretender avivar raízes ancestrais e “manter viva a tradição” de se constituir como o festival que marca o arranque de todos os outros do género na ilha de São Miguel, tem também como intuito convidar a sociedade a integrá-lo.

“Além de mostrarmos o nosso trabalho durante todo o ano, abre-se a possibilidade de juntarmos a nossa família, amigos e o público em geral em torno de uma vontade comum, que é a de passarmos um domingo diferente e juntarmo-nos todos em convívio”, aprofundou o dirigente do grupo folclórico.

Entretanto, e no que diz respeito ao festival de folclore, quem se deslocar ao Pinhal da Paz no próximo domingo vai poder ver e ouvir o Rancho Folclórico Santa Cecília da Fajã de Cima, o Grupo Dançar para Recordar, o Grupo Folclórico Ilha Verde, o Grupo Folclórico São José da Salga e o Grupo Cultural e Recreativo Domingos Rebelo.

Assim, ao todo, serão entre “150 e 200” os elementos que pisarão o palco da iniciativa, trazendo os dançares e as sonoridades que outrora ecoaram no passado e - também por força destes cinco grupos - fazem questão de perdurar no presente.


O Açoriano Oriental questionou Pedro Almeida sobre quantas edições ao certo o evento já somava, mas, e apesar de pertencer ao grupo anfitrião há mais de duas décadas, disse ser difícil precisar. No entanto, o que sabe efetivamente é que, com o passar dos anos, o interesse junto do público começa a ser maior e, de edição para edição, o Pinhal da Paz vai acolhendo mais gente, por ocasião do Festival das Azáleas. “Todos os anos têm superado as nossas expectativas (...) e temos tido uma média de 1500 a 2000 pessoas a frequentarem o parque naquele dia”, deu conta o responsável.

E, desde que os céus se abriram às companhias aéreas de baixo custo e também a partir do momento em que o rancho começou a apostar em novas formas de comunicar o evento, há outro dado digno de nota: “ outras pessoas começam a visitar a reserva e muitas delas são turistas (...) Tem sido muito empolgante e, por essa razão, a cada ano, renovamos as energias para mais uma edição” do Festival das Azáleas, afirmou o presidente da direção do rancho.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.