Figo diz que Sporting precisa de paz e exclui-se de corrida eleitoral

Figo diz que Sporting precisa de paz e exclui-se de corrida eleitoral

 

Lusa/AO online   Futebol   10 de Abr de 2018, 11:24

O antigo futebolista Luís Figo disse esta terça-feira que a equipa do Sporting “necessita neste momento de tranquilidade, paz e confiança”, numa mensagem enviada à Lusa em que se exclui de uma corrida à presidência do clube.

"É triste que na situação atual lancem notícias possivelmente com terceiras intenções. A equipa do Sporting necessita neste momento de tranquilidade paz e confiança", afirmou Luís Figo, dizendo-se surpreendido por o seu nome estar a ser apontado como provável candidato a uma eventual sucessão de Bruno de Carvalho na liderança do clube ‘leonino’.

Segundo Luís Figo, as notícias sobre essa possibilidade não têm “qualquer fundamento”.

De acordo com vários meios de comunicação social, Luís Figo teria sido sondado pela Holdimo, que detém cerca de 30% das ações da Sporting SAD e exigiu uma Assembleia Geral da sociedade devido ao potencial prejuízo para os ativos da sociedade com as polémicas recentes.

Luís Figo, 45 anos, iniciou a carreira profissional no Sporting, clube no qual cumpriu a formação, vestindo depois as camisolas de FC Barcelona, Real Madrid e Inter Milão.

O antigo internacional português foi Bola de Ouro em 2000 e vencedor do prémio FIFA para melhor jogador de 2001.

Bruno de Carvalho criticou na quinta-feira as exibições de alguns jogadores do Sporting, após a derrota em casa do Atlético de Madrid (2-0), na Liga Europa, tendo, na sexta-feira, 19 jogadores do plantel, entre os quais Rui Patrício, William Carvalho, Fábio Coentrão, Coates, Gelson Martins e Bruno Fernandes, divulgado um comunicado no qual manifestaram "desagrado" com as críticas.

Em resposta, Bruno de Carvalho anunciou a suspensão dos jogadores que subscreveram o comunicado e que teriam de enfrentar a disciplina do clube.

No entanto, os jogadores acabaram por defrontar o Paços de Ferreira (vitória por 2-0), no domingo, em jogo da 29.ª jornada da I Liga, durante o qual o plantel foi aplaudido e o presidente assobiado.

Na segunda-feira, o presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, Jaime Marta Soares, disse que Bruno de Carvalho não tem condições para continuar em funções e anunciou a intenção de agendar uma reunião magna com vista a uma eventual destituição do líder 'leonino'.

Em resposta, Bruno de Carvalho anunciou que ele próprio vai convocar uma Assembleia Geral para que os sócios se pronunciem sobre a continuidade de cada um dos órgãos sociais.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.