Fórmula 1

FIA confirma título de Raikkonen, McLaren/Mercedes recorrem


 

Lusa/AO   Motores   22 de Out de 2007, 08:30

A escuderia McLaren/Mercedes recorreu no domingo da decisão da FIA de não punir a BMW/Sauber e a Williams/Toyota, por alegada infracção ao regulamento e, consequentemente, atribuir o título mundial de Fórmula 1 a Kimi Raikkonen.
A vitória de domingo em São Paulo, Brasil e a atribuição do título mundial a Kimi Raikkonen (Ferrari), conquanto oficializada, pode vir a ser posta em causa no Tribunal de Apelo da Federação Internacional de Automobilismo, que se reunirá em data a definir.

    A FIA tinha anunciado, no domingo, a abertura de um inquérito aos carros da BMW Sauber e da Williams, cuja desclassificação "roubaria" o título Mundial de Fórmula 1 ao finlandês Kimi Raikkonen.

    Ao vencer o Grande Prémio do Brasil, o piloto nórdico terminou o Mundial com um ponto de avanço sobre o inglês Lewis Hamilton e o espanhol Fernando Alonso, ambos da McLaren/Mercedes, mas, afinal, o britânico ainda podia chegar ao ceptro.

    Hamilton foi apenas sétimo, mas se os Williams-Toyota de Nico Rosberg (quarto classificado) e os BMW-Sauber de Robert Kubica (quinto) e o Nick Heidfeld (sexto) fossem desclassificados, subiria ao quarto lugar e ficaria com mais dois pontos do que Raikkonen.

    "A temperatura da gasolina injectada pelos carros número 9 (Heidfeld), 10 (Kubica), 16 (Rosberg) e 17 (Kazuki Nakajima, 10º) era inferior em mais de 10 graus à temperatura ambiente", explicou a FIA, esclarecendo o porquê de ter aberto o inquérito.

    Primeiramente, a FIA enviou um comunicado às equipas BMW Sauber e Williams, solicitando a presença imediata de um representante de cada uma das escuderias junto do comissário de corrida.

    Ao fim do dia, a FIA anunciou que não seria aplicada qualquer sanção às marcas e aos pilotos, alegadamente por omissão nos regulamentos.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.