FAZ recolhe fundos para auxiliar ONG da Guiné-Bissau que apoia crianças talibé


 

Lusa/Ao online   Economia   7 de Jul de 2018, 11:55

O movimento FAZ vai ser apresentado no domingo e recolher fundos para auxiliar a Associação de Amigos da Criança (AMIC), da Guiné-Bissau, que apoia crianças talibé, depois de viverem na miséria e de exploradas pelos professores de Alcorão.

"O FAZ é composto por um grupo de voluntários, que pretende chamar a atenção para uma realidade que, por vezes, nos é muito distante, mas é muito preocupante, que é o tráfico de pessoas", referiu à agência Lusa a responsável pelo projeto, Frederica Azevedo, que se propõe angariar fundos para a AMIC, com a venda de peças de pano de pente, tradicional da Guiné-Bissau.

Frederico Azevedo afirmou a necessidade de sensibilizar para "a situação na Guiné-Bissau, para um grupo de 1.100 crianças talibé, enviadas pelos pais para estudar Alcorão fora do país e que, infelizmente, e não raras vezes, acabam por entrar nas redes de tráfico e ficam submetidas a exploração laboral e mendicidade durante muitos anos".

Intitulada "100 peças, 100 por cento voluntariado, 100 por cento de fundos para a AMIC", a campanha consiste na venda de 100 peças de pano de pente, para que se possa apetrechar um centro de acolhimento da associação de apoio e reabilitação de crianças, na Guiné-Bissau.

A venda permitirá "comprar uma arca frigorífica, alguns computadores portáteis, reabilitar o parque infantil de um dos centros de acolhimento e comprar baterias para painéis solares".

A FAZ convidou estilistas para a criação de peças, entre os quais três criadores guineenses: Alfa Cante, que foi considerado o melhor estilista da África Ocidental em 2015, Pérola Correia e D.Vaz (roupa para jovens, com peças únicas).




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.