Faltou "falar com o Papa" para ele vir ao Santo Cristo

Carregando o video...

 

Rui Jorge Cabral   Regional   7 de Mai de 2010, 20:12

A Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres empenhou-se em tentar trazer o Papa a Ponta Delgada, aproveitando a coincidência da visita de Bento XVI a Portugal com os 310 anos da procissão do Santo Cristo.

Só faltou mesmo falar directamente com o Papa, o que o provedor da Irmandade, Costa Santos, admite possa ter sido a principal razão da não vinda de Bento XVI no dia da procissão do Santo Cristo.

Era um momento em que várias efemérides - que dificilmente se voltarão a conjugar - se assinalavam este ano e na data da vinda do Papa a Portugal: o culto ao Santo Cristo faz 310 anos; a Diocese de Angra comemora 475; o Concílio Vaticano II faz 50 anos, a beatificação dos pastorinhos Jacinta e Francisco faz 10 anos e, a mais curiosa de todas as efemérides, a procissão deste ano dá-se dois dias antes de se completarem 19 anos desde que João Paulo II, precisamente ao lado da imagem do Santo Cristo, realizou uma celebração da palavra em Ponta Delgada.

Quanto à capa escolhida para cobrir a imagem na procissão deste ano, é uma capa oferecida por José Estrela, natural da Ribeira Grande e emigrante nos Estados Unidos da América, que aos 12 anos sonhou oferecer uma capa ao Santo Cristo.

Estreada no ano 2000, um ano especial em que se assinalaram os 300 anos do culto, a capa é de veludo de seda carmim, bordada a ouro pela Cooperativa de Artesanato de Nossa Senhora da Paz, com a aplicação de jóias a ser feita no Convento da Esperança, pelas ex-alunas das Religiosas de Maria Imaculada.

Existem 26 capas do Santo Cristo, desde a original de 1700 até aos nossos dias. Algumas delas estão também desde sexta-feira expostas no Centro Municipal de Cultura, bastante realçadas por um trabalho cénico que as suspende ao nível do olhar do espectador.

*Leia esta notícia na íntegra no jornal Açoriano Oriental de sábado, 8 de Maio de 2010


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.