Paleontologia

Exumado crocodilo marinho com 150 milhões de anos


 

Lusa/AOonline   Internacional   24 de Nov de 2008, 15:55

Paleontólogos suíços exumaram o esqueleto de um "metriorhynchus", um crocodilo marinho que viveu há 150 milhões de anos e pesava 300 quilos.
Com a ajuda de um camião-grua, os cientistas extraíram o esqueleto de um bloco de três toneladas de sedimentos, de forma a evitar o risco de danificar o fóssil, descoberto na cordilheira suíça do Jura, por ocasião dos trabalhos de construção de uma auto-estrada, anunciou a agência noticiosa suíça ATS.

    É o primeiro espécime de "metriorhynchus" descoberto na Suíça. Decorreram seis meses desde a descoberta do fóssil até à sua exumação.

    Dotado de patas-barbatana bem como de uma longa cauda curvada na extremidade, este crocodilo carnívoro de alto mar deveria voltar à praia para depositar os seus ovos tal como as tartarugas marinhas.

    A região de Ajoie (noroeste da Suíça, cantão de Jura) encontrava-se há 150 milhões de anos rodeada por um mar com temperatura de 25 graus Celsius.

    O subsolo desta região revelou por ocasião dos trabalhos da auto-estrada mais de 5.000 pegadas e perto de 400 rastos de dinossauro. Por entre as pegadas, estão identificadas algumas de saurópodes (dinossauros quadrúpedes e herbívoros de cauda e pescoço comprido).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.