Exercício junta três ramos das Forças Armadas

Exercício junta três ramos das Forças Armadas

 

Lusa/AO online   Regional   25 de Set de 2018, 17:50

A simulação de um sismo de alta magnitude foi esta terça-feira o cenário para um exercício na Ribeira Quente, que juntou os três ramos das Forças Armadas nos Açores.

Este exercício, integrado no conjunto de iniciativas Açor 2018, teve por objetivo o treino operacional conjunto dos comandos, forças e meios sedeados no arquipélago em resposta a uma situação de crise sísmica e teve a particularidade de ter sido feito na freguesia da Ribeira Quente, no concelho da Povoação.

Naquela freguesia, a chuva intensa provocou derrocadas e 29 pessoas morreram soterradas em 31 de outubro de 1997, numa das maiores tragédias recentes na região autónoma.

Para o secretário regional da Saúde, que acompanhou o exercício, há a preocupação de "estimular" permanentemente "a cooperação entre as várias entidades", estando o executivo confiante "no dispositivo existente nos Açores" para responder a eventos como sismos.

Já o Tenente-General Amândio Miranda, o comandante operacional dos Açores, mostrou-se satisfeito com a resposta dada pelos profissionais.

"Perante uma situação difícil, que foi criada em termos de cenário, houve uma capacidade robusta para operar", vincou.

O Açor 2018, que prossegue com outros exercícios, integra, além dos três ramos das Forças Armadas, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) e testa a cooperação e articulação entre os agentes envolvidos.

Este é o segundo treino em cenário de crise sísmica que se realiza na região no espaço de uma semana.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.