Executivo dos Açores vai distinguir cidadãos no âmbito da campanha SOS Cagarro

Executivo dos Açores vai distinguir cidadãos no âmbito da campanha SOS Cagarro

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Out de 2018, 06:04

O Governo dos Açores vai distinguir em 2018 cidadãos e entidades que contribuam para o salvamento de cagarros, numa fase em que avança a edição deste ano da SOS Cagarro, a mais antiga campanha de conservação ambiental da região.

A Campanha SOS Cagarro, criada em 1995, pretende sensibilizar a população dos Açores, para a proteção dos cagarros juvenis, que durante os meses de outubro e novembro começam a abandonar os seus ninhos, mas que acabam por cair em terra, desorientados com a iluminação noturna.

Numa nota divulgada, o Governo dos Açores afirma que esta é atualmente "a maior e mais regular campanha de conservação da natureza e de educação ambiental do país".

Por seu lado, o secretário regional com a tutela do Mar, Ciência e Tecnologia diz que o "envolvimento dos cidadãos” é um “fator decisivo” para a conservação dos cagarros.

"O cagarro é a ave marinha mais icónica dos Açores, que tem um estatuto de conservação reconhecido internacionalmente", salientou Gui Menezes, que falava na ilha do Corvo, em visita estatutária do Governo dos Açores, na sessão de abertura da campanha SOS Cagarro 2018.

A região autónoma acolhe todos os anos cerca de 200 mil casais de cagarros (Calonectris borealis), que usam as ilhas do arquipélago, entre abril e outubro, para se reproduzirem.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.