Europeu de Futsal dominado por Espanha desde a 1ª edição

Europeu de Futsal dominado por Espanha desde a 1ª edição

 

Lusa / AO online   Outras modalidades   14 de Nov de 2007, 17:07

A campeã Espanha, vencedora de uma primeira versão não oficial do campeonato da Europa, em 1996, em Córdoba, tem dominado o futsal europeu da última década com títulos e presenças no pódio.
Os espanhóis são, assim, novamente os grandes favoritos a mais um triunfo num europeu, agora em Portugal, país que acolhe pela primeira vez a prova e que tenta integrar o lote das equipas favoritas ao triunfo final.

    O primeiro torneio europeu de futsal, modalidade "apadrinhada" pela FIFA em 1988, foi realizado em 1996, em Córdoba, e o triunfo pertenceu à selecção anfitriã Espanha, que venceu na final a Rússia, por 5-3.

    Vicente Martinez, autor de quatro dos cinco golos de Espanha, foi o herói da final com a Rússia. O terceiro lugar do pódio foi ocupado pela selecção da Bélgica, que derrotou a Itália, por 3-2, após prolongamento.

    Este primeiro torneio, aliado ao facto de três selecções do "Velho Continente" terem atingido as meias-finais do Mundial de 1996, levou a UEFA a decidir promover o primeiro campeonato da Europa de futsal, em 1999.

    A Rússia, com destaque para Konstantin Eremenko, autor do golo decisivo, conquistou o título europeu, numa final emotiva realizada com a Espanha, a jogar uma vez mais em casa, decidida nas grandes penalidades.

    Apesar de quatro golos em 88 segundos da segunda parte, dois para cada lado, foi preciso recorrer à marcação de grandes penalidades para a Rússia erguer o troféu em Granada, frente à equipa espanhola.

    A Itália venceu a Holanda, por 3-0, e alcançou o terceiro lugar do pódio, que lhe havia fugido no prolongamento para a Bélgica (3-2), na primeira edição da prova realizada três anos antes, em Córdoba.

    A edição de 1999 contou com a participação de 24 países na fase de qualificação, tendo chegado à fase final, que já contava com a anfitriã Espanha, as selecções da Croácia, Holanda, Jugoslávia, Bélgica, Itália, Portugal e Rússia.

    A Espanha voltou ao lugar mais alto do pódio na edição de 2001, realizada em Moscovo, ao derrotar na final a Ucrânia, por 2-1, com golos de Alberto Riquer e de Javi Sánchez, depois de ter estado a perder por 1-0.

    A Rússia, afastada pela Espanha nas meias-finais (que vingou assim a derrota na final de Granada de 1999), obteve a medalha de bronze, ao derrotar a Itália, por 2-1, e salvou a face perante os seus adeptos.

    O número de países participantes na fase de qualificação foi de 25, mais um do que na edição anterior, e Espanha, Ucrânia, Polónia, Croácia, Itália, Holanda e República Checa juntaram-se à Rússia, em Moscovo.

    A edição de 2003 do campeonato da Europa consagrou a anfitriã Itália, em Caserta, que venceu na final a Ucrânia com um único golo apontado pelo esquerdino Vinicius Bacaro (1-0).

    A Espanha, campeã mundial em título, caiu nas meias-finais da edição italiana, que teve na Bélgica e República Checa as selecções revelações.

    A qualificação contou com a participação de 28 países, distribuídos por sete grupos de quatro equipas, e apurou para a fase final a República Checa, Rússia, Eslovénia, Espanha, Portugal e Bélgica.

    Em 2005, a Espanha, campeã do Mundo em 2004, reconquistou o título europeu - terceiro no seu historial -, ao bater a Rússia, por 2-1, na final da competição realizada em Ostrava, na República Checa.

    O jogo para atribuição do terceiro lugar foi uma repetição da final de 2003, tendo a Itália voltado a bater a Ucrânia, mas desta vez por 3-1.

    A fase de apuramento contou pela primeira vez com uma ronda preliminar com sete países divididos em dois grupos. As estreantes selecções da Roménia e do Chipre juntaram-se às 26 presentes na fase de qualificação.

    Participaram na fase final da edição de 2005 do campeonato da Europa, além da anfitriã República Checa, as selecções de Espanha, Rússia, Ucrânia, Holanda, Itália, Portugal e Hungria.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.