Estudo aponta Corvo e Berlenga como prioritárias no combate a espécies invasoras

Estudo aponta Corvo e Berlenga como prioritárias no combate a espécies invasoras

 

Lusa/AO Online   Regional   27 de Mar de 2019, 18:30

Um estudo internacional que integrou peritos da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) aponta o Corvo, nos Açores e a Berlenga como ilhas prioritárias no implementar de "projetos de remoção de espécies invasoras na próxima década", foi revelado.

O estudo, publicado esta quarta-feira na revista PLoS One, concluiu que “remover mamíferos invasores como ratos, gatos, cabras e porcos seria benéfico para 9,4% das espécies ameaçadas que residem em ilhas”, segundo um comunicado divulgado pela SPEA.

Entre as 169 ilhas identificadas pelo estudo “onde seria crucial implementar projetos de remoção de espécies invasoras na próxima década” estão o Corvo e a Berlenga.

Na Berlenga, "a remoção do rato-preto terá benefícios diretos para a lagartixa-das-berlengas, que apenas pode ser encontrada neste arquipélago", ao passo que na ilha do Corvo, nos Açores, "o estudo mostra que a remoção de rato-preto e de gatos iria beneficiar o morcego-da-madeira".

O estudo, nota a SPEA, teve como objetivo definir os critérios a nível internacional e avaliar a prioridade de remoção de mamíferos introduzidos em ilhas, tendo em conta os vertebrados ameaçados existentes nas ilhas avaliadas.

O estudo utilizou dados biológicos e geográficos para 1.279 ilhas com 2.823 populações de 1.184 espécies de aves, répteis, mamíferos e anfíbios consideradas "Criticamente em Perigo" ou "Em Perigo" na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), a lista mais completa do mundo relativa ao estatuto de conservação de animais, fungos e plantas.

Incorporando dois técnicos da SPEA, o trabalho, diz a entidade portuguesa, representa "uma importante colaboração global para recomendar ações práticas com efeito na luta contra a crise global de extinção de espécies".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.