Migrações

Doze países da UE procuraram solução duradoura para fluxo migratório

Doze países da UE procuraram solução duradoura para fluxo migratório

 

Lusa/Ao online   Internacional   25 de Ago de 2018, 02:01

Doze países europeus reuniram-se esta sexta feira em Bruxelas para procurar solução de gestão, a longo prazo, dos fluxos migratórios do Mediterrâneo, ao mesmo tempo que a Itália ameaça reduzir a contribuição para o orçamento comunitário.

O encontro na capital belga realizou-se quando continua a situação da embarcação da guarda-costeira italiana "Diciotti", que permanece atracado na Catânia, no sul de Itália, desde segunda-feira, com 150 imigrantes a bordo, que aguardam autorização do ministro do Interior italiano, o ultradireitista Matteo Salvini, para poderem desembarcar.

Enquanto não for desbloqueada a situação do "Diciotti", o novo Governo de Itália ameaça reduzir a contribuição do país para o orçamento comunitário.

Na reunião, de caráter técnico, "não se tomaram decisões", precisaram fontes da Comissão Europeia (CE), que convidaram técnicos de Espanha, Itália, Malta, Irlanda, França, Alemanha, Luxemburgo, Grécia, Holanda, Bélgica, Áustria e Portugal a uma reunião informal para avançar no assunto.

Os técnicos incidiram na "necessidade de uma solução partilhada e rápida para os imigrantes a bordo" da embarcação, "assim como os desembarcados mais recentemente em Espanha e Malta", adiantaram as fontes, que não esclareceram se houve avanços mais concretos nestas conversações.

"O debate de hoje deve ver-se no contexto do trabalho em curso para dar seguimento às conclusões do Conselho Europeu de junho. Deveria contribuir para se avançar na reforma do Sistema Europeu Comum de Asilo", acrescentaram, frisando que as conversações devem prosseguir "a todos os níveis" no Conselho Europeu de 20 de setembro, na Áustria.

Ainda que Bruxelas tenha dito que a reunião estava "aberta a qualquer Estado membro interessado em buscar uma solução europeia", nenhum dos restantes 16 países participou.

Hoje, o Salvamento Marítimo e a Guardia Civil resgataram 191 pessoas de quatro embarcações localizadas de tarde em distintos pontos do mar de Alborán.

Um porta-voz do Salvamento Marítimo informou a Efe que o navio patrulha "Rio Seguro" resgatou 60 pessoas de uma embarcação, que logo foram transferidos para o navio Mastelero.

Este navio de salvamento, que chega ao porto de Almeria aos primeiros minutos de sábado, resgatou 57 pessoas de uma segunda embarcação e mais 67 numa terceira.

Ao todo, o navio tem a bordo 184 pessoas, entre as quais 53 mulheres, quatro crianças e três bebés.

Também o navio patrulha "Rio Jiloca" confirmou o resgate de sete pessoas de origem magrebina de uma quarta embarcação, que, em princípio, serão transportados para Almeria.

Hoje também, ao início da tarde, chegaram ao porto de Almeria outras 17 pessoas resgatadas no Mar de Alborán, às 11:45 (uma hora menos em Lisboa), por outra embarcação de salvamento marítimo.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.