Calor

Dez distritos em alerta amarelo devido aos efeitos do calor na saúde

Dez distritos em alerta amarelo devido aos efeitos do calor na saúde

 

Lusa/AO online   Nacional   10 de Ago de 2010, 11:31

A Direcção Geral da Saúde (DGS) colocou esta terça-feira em alerta amarelo dez distritos de Portugal continental, devido a efeitos do calor na saúde.
Os onze distritos em alerta são Braga, Vila Real, Bragança, Santarém, Lisboa, Portalegre, Évora, Setúbal, Beja e Faro. O alerta da DGS é o segundo de menor gravidade numa escala de três.

Os avisos da DGS quanto à exposição a temperaturas elevadas têm em conta o número de dias consecutivos em que se registam temperaturas altas numa dada região e relaciona-os com os efeitos na saúde das populações, sendo o amarelo o segundo menos grave numa escala de três.

Segundo a DGS, a exposição continuada a temperaturas elevadas pode provocar desidratação e agravamento de doenças crónicas, sendo especialmente vulneráveis as crianças nos primeiros anos de vida, idosos, doentes crónicos e pessoas medicadas com anti-hipertensores, antiarrítmicos, diuréticos e antidepressivos.

Para prevenir estes danos, a DGS recomenda o aumento da ingestão de água e sumos de fruta natural sem açúcar. Indica ainda que se deve evitar bebidas alcoólicas, procurar ambientes frescos nos momentos de maior calor do dia e utilizar roupa larga, chapéu e óculos com protecção contra a radiação UVA e UVB.

Também o Instituto de Meteorologia (IM) chama a atenção para o risco "Muito Alto" de exposição à radiação ultravioleta, que se verifica hoje em nove dos doze locais de medição existentes no país. No Funchal o risco é mesmo "Extremo".

O nível "Muito Alto", o segundo mais grave de aviso a seguir ao "Extremo", regista-se em Bragança, Coimbra, Évora, Faro, Lisboa, Penhas Douradas, Sines, Viana do Castelo e Santa Cruz.

Angra do Heroísmo regista um risco "Alto" e Ponta Delgada apresenta um risco "Moderado".

O IM alerta que é aconselhável a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol, protector solar e evitar a exposição de crianças ao sol.

A exposição à radiação ultravioleta do sol pode conduzir a problemas agudos e crónicos para a saúde, nomeadamente ao nível da pele (cancro), olhos (cataratas) e sistema imunitário, explicita o IM.

O IM prevê para hoje "tempo quente com céu pouco nublado ou limpo", e um "vento fraco (inferior a 15 km/h), tornando-se moderado (15 a 25 km/h) de noroeste no litoral oeste durante a tarde".

As temperaturas máximas previstas para as principais cidades do país são de 30 graus para o Porto, 38 graus para Lisboa e 34 graus para Faro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.