Desemprego recua para novos mínimos em fevereiro na zona euro e UE

Desemprego recua para novos mínimos em fevereiro na zona euro e UE

 

Lusa/AO online   Economia   4 de Abr de 2018, 09:39

A taxa de desemprego recuou, em fevereiro, para os 8,5% na zona euro e os 7,1% na União Europeia (UE), atingindo, respetivamente novos mínimos desde dezembro e setembro de 2008, divulga esta quarta-feira o Eurostat.

Segundo o gabinete de estatísticas da UE, em fevereiro o desemprego caiu para os 8,5% na zona euro, quer face aos 9,5% homólogos quer na variação mensal (8,6% em janeiro), sendo o valor mais baixo registado desde dezembro de 2008.

No conjunto dos 28 Estados-membros, a taxa de desemprego recuou para os 7,1% em fevereiro, face aos 8,0% homólogos e aos 7,2% de janeiro, atingindo o valor mais baixo desde setembro de 2008.

As menores taxas de desemprego foram observadas na República Checa (2,4%), na Alemanha e Malta (3,5% cada) e as mais altas na Grécia (20,8%, em dezembro de 2017) e em Espanha (16,1%).

Em termos homólogos, a taxa de desemprego recuou em todos os estados-membros exceto na Estónia (onde subiu de 5,8% para 6,5%, dados de janeiro).

Chipre (de 12,6% para 9,6%), a Grécia (de 23,4 para 20,8%, dados de dezembro) e a Croácia (de 12,0% para 9,6%) foram os países onde o desemprego mais caiu, face ao mesmo mês do ano anterior.

No que respeita ao desemprego jovem, a taxa recuou, em fevereiro, para os 17,7% na zona euro (face aos 19,4% homólogos, mas estável face a janeiro) e para os 15,9% na UE (17,3% em fevereiro de 2017 e 16% em janeiro).

A Alemanha (6,2%), a Holanda (7,2%) e a República Checa (7,5%) tiveram as menores taxas de desemprego juvenil e a Grécia (45,0% em dezembro), a Espanha (35,5%) e a Itália (32,8%) as maiores.

Em Portugal, a taxa de desemprego recuou para os 7,9%, face aos 9,9% homólogos e aos 8,0% de janeiro.

Entre as pessoas com menos de 25 anos, a taxa de desemprego diminuiu para 21,4%, quer face aos 24,2% homólogos quer aos 21,5% em cadeia.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.