Desabamento de lixeira em Moçambique provocou 16 mortos

Desabamento de lixeira em Moçambique provocou 16 mortos

 

Lusa/AO online   Internacional   20 de Fev de 2018, 09:38

O número de mortos resultante do desabamento da maior lixeira de Maputo, na segunda-feira, é 16, dado que uma das vítimas dada como morta está entre os feridos, disse hoje à Lusa fonte da proteção civil moçambicana.

"Há 16 mortos confirmados na morgue" do Hospital Central de Maputo, referiu Fátima Belchior, delegada do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) na cidade de Maputo.

Havia "uma pessoa não localizada", julgada morta, mas "do trabalho feito com os vizinhos constatou-se que era um dos feridos", acrescentou.

Doze mulheres e quatro homens perderam a vida no desabamento de parte da lixeira de Hulene, que se abateu sobre casas precárias do bairro em redor.

Das 16 vítimas, sete eram crianças, referiu aquela responsável.

As autoridades deram abrigo a 22 desalojados que perderam as habitações e a outras 22 famílias que ficaram com as casas inundadas, na sequência da chuva forte que cai desde domingo à noite na região de Maputo.

"Foram retiradas todas as pessoas da zona de perigo", junto a outros pontos da lixeira que apresentam perigo de derrocada, explicou Fátima Belchior à Lusa.

Os serviços de proteção civil vão manter equipas no local para monitorizar a situação e garantir que ninguém regressa para locais de risco, concluiu.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.