Depressão Kyllian provoca 20 ocorrências e o cancelamento de um voo nos Açores

Depressão Kyllian provoca 20 ocorrências e o cancelamento de um voo nos Açores

 

Lusa/Ao online   Regional   23 de Fev de 2019, 12:36

 A Proteção Civil dos Açores registou esta madrugada 20 ocorrências, devido à passagem da depressão Kyllian, sendo sobretudo queda de árvores, adiantou à Lusa o presidente do serviço.

“Tivemos até ao momento, durante a madrugada e manhã, 20 ocorrências, felizmente só uma no grupo ocidental, com a queda de uma árvore nas Flores, que foi uma situação prontamente resolvida e já temos 19 ocorrências no grupo central”, revelou o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), Carlos Neves.

O mau tempo provocou danos numa habitação na ilha de São Jorge, que não estava habitada, segundo Carlos Neves, e o transbordo de uma ribeira, na mesma ilha.

As restantes ocorrências foram quedas de árvores, em todas as ilhas do grupo central, mas as estradas já foram limpas.

“Não se registou nenhuma ocorrência grave e as que aconteceram foram rapidamente resolvidas pelos agentes de Proteção Civil”, avançou.

Segundo Carlos Neves, a situação “continua a ser preocupante, pelo menos até ao final da manhã”, mas as atenções estão voltadas agora para o grupo central.

“Neste momento o tempo nas Flores já está a melhorar, tanto a intensidade do vento, como a chuva. Portanto, em princípio os problemas no grupo ocidental terão cessado, agora estamos a acompanhar a situação no grupo central”, apontou.

O vento forte provocou também o cancelamento do voo da Azores Airlines Lisboa-Pico-Terceira, de acordo com o porta voz da companhia aérea açoriana.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a depressão Kyllian encontrava-se às 9:00 de hoje “centrada a aproximadamente a 440 km a oeste-noroeste da ilha das Flores, com uma pressão atmosférica prevista no seu centro de 960 hPa”.

“Encontra-se já em fase de afastamento da região, com deslocamento para nordeste, contudo ainda condiciona o estado do tempo em todo o arquipélago”, adiantou a meteorologista Vanda Costa, em comunicado de imprensa.

As ilhas do grupo ocidental (Flores e Corvo) mantém-se sob aviso vermelho – o mais grave da escala – até às 18:00 (mais uma hora em Lisboa), devido à agitação marítima, passando a laranja até à meia-noite.

Há ainda um aviso laranja nestas ilhas, até às 18:00, devido às previsões de vento forte.

Também as ilhas do grupo central (Terceira, São Jorge, Graciosa, Pico e Faial) estão sob aviso laranja até às 15:00, devido ao vento forte, e até às 21:00, devido à agitação marítima, enquanto no grupo oriental (São Miguel e Santa Maria) existe um aviso amarelo.

Nas Flores e no Corvo, está previsto “vento sudoeste com rajadas na ordem dos 110 km/h até à tarde de hoje e ondas de sudoeste com 10 a 11 metros de altura significativa (podendo atingir de altura máxima os 20 metros), passando a oeste”.

Já no grupo central, “o vento deverá soprar de sul/sudoeste com rajadas na ordem dos 120 km/h até à tarde” e as ondas “poderão atingir os nove metros de altura significativa e os 15 metros de altura máxima”.

O IPMA prevê ainda vento de sul/sudoeste “com rajadas a rondar os 100 km/h”, no grupo oriental, e a ocorrência de “precipitação por vezes forte e que poderá ser acompanhada de trovoadas”, em todas as ilhas, devido à passagem de uma superfície frontal associada à depressão Kyllian.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.