Criada nos Açores associação de defesa e promoção do alojamento local

Criada nos Açores associação de defesa e promoção do alojamento local

 

Lusa/AO online   Regional   3 de Abr de 2018, 11:30

A Associação do Alojamento Local dos Açores (ALA), criada para defender os interesses do setor e que esta terça-feira se apresentou à imprensa, tem como metas apoiar a "profissionalização e o aumento da competitividade".

Tendo como presidentes da direção e da assembleia geral Rui Correia e Mário Martins, respetivamente, a ALA pretende “agregar e unificar a atividade” de alojamento local nos Açores, que tem vindo a crescer com o aumento da procura turística do arquipélago.

Os fundadores da ALA justificam a criação do organismo com a “necessidade de defender os interesses” do setor junto das entidades públicas e privadas, bem como pela necessidade de “incentivar um ambiente de concorrência leal e de transparência” entre todos os agentes do mercado, em particular do alojamento local.

Propondo-se “apoiar a profissionalização e o aumento da competitividade” dos seus associados através da troca de experiências, ações de informação e de formação, eventos, publicações, apoio jurídico e contabilístico, a ALA pretende, também, “servir de plataforma unificadora na negociação de vantagens e benefícios comerciais”.

Os responsáveis pela associação querem “reforçar a relevância e importância que atualmente o alojamento local já detém em todas as ilhas”, visando “criar e cimentar bases” para que a atividade possa “melhorar, crescer e demonstrar-se como alternativa inovadora e credível no mercado turístico da região” num contexto de “sustentabilidade económica, ambiental e social”.

A ALA propõe-se ser “uma voz proativa na discussão e implementação de políticas referentes” ao setor, procurando “sensibilizar para a uniformização dos critérios de aplicação da legislação em vigor e na legalização das unidades que exercem a atividade à margem da legalidade”.

De acordo com dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA), em janeiro os estabelecimentos hoteleiros da região registaram 68 mil dormidas, o que revela um aumento de 12,4% em termos comparativos com o período homólogo.

O SREA adianta que os proveitos totais atingiram 2,9 milhões de euros e os proveitos de aposento dois milhões de euros, o que corresponde a variações homólogas, respetivamente, de 19,9% e 18,7%.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.