Corvo e Flores têm grande potencial agrícola para nichos de mercado, afirma Diretor Regional

Corvo e Flores têm grande potencial agrícola para nichos de mercado, afirma Diretor Regional

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   13 de Jul de 2018, 19:00

O Diretor Regional do Desenvolvimento Rural destacou a capacidade e o grande potencial produtivo da agricultura nas ilhas do Corvo e das Flores para responder ao aumento da procura de nichos de mercado, como, por exemplo, carne em modo de produção biológica, associando a Identificação Geográfica Protegida (IGP).


De acordo com Fernando Sousa, que marcou presença nos debates sobre os desafios da agricultura nas duas ilhas e o futuro da Política Agrícola Comum pós 2020, "é possível crescer mais na valorização dos produtos agrícolas das duas ilhas, obter maior rendimento e ter explorações agrícolas sustentadas, geradoras de emprego e contribuintes líquidas para o desenvolvimento do Grupo Ocidental e da Região".

Citado em nota do gacs, o Director Regional explicou que "o Governo tem dado sinais claros da sua aposta na criação de valor para as produções agrícolas, nomeadamente no leite e na carne, mas este é um desafio de todos o que estão na fileira", disse o diretor regional, acrescentando que o abate de bovinos IGP cresceu 28% no primeiro semestre deste ano, face ao mesmo período de 2017.

Fernando Sousa considerou ainda ser imperativo apostar cada vez mais na qualidade e aproveitar melhor as oportunidades de mercado, lembrando que a ilha das Flores está classificada como Reserva da Bioesfera pela UNESCO, algo que deve constituir um elemento de valorização da carne produzida nesta ilha.

No que diz respeito à Política Agrícola Comum 2021-2027, Fernando Sousa referiu que os próximos meses são de negociações intensas, destacando que, “nos Açores, há uma efetiva união de todo o setor” para se conseguir o melhor orçamento possível para as Regiões Ultraperiféricas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.